Dieta Mediterrânica em braille

Como nota introdutória de uma divulgação emitida pela Direção Regional de Agricultura e Pescas (DRAP) do Algarve, é referido que em Portugal, estima-se que existam “cerca de 900 mil cidadãos com dificuldades de visão. Destes, cerca de 28 mil são pessoas cegas. A estas pessoas que não conseguem ver, mesmo com ajuda, teremos de juntar muitos outros milhares de pessoas com muito baixa visão”.

Assim, estes portugueses e suas famílias, para além das dificuldades físicas e económicas, nomeadamente uma proporção muito elevada de desemprego (75% das pessoas cegas na União Europeia estão desempregados), discriminação e mobilidade, permanecem também sob riscos aumentados de saúde.

Pub

Apesar de serem poucos os trabalhos científicos sobre o assunto a nível global, segundo a DRAP Algarve, “pensa-se que a proporção de crianças e adolescentes com deficiência visual que desenvolveram obesidade ou pré-obesidade varie entre 18,4% e os 63%, valores acima da média quando comparados com crianças sem problemas de visão”.

“Assumindo que as crianças e adolescentes com deficiência visual são mais propensos a desenvolver obesidade, talvez resultado de dificuldades em fazer uma alimentação mais saudável ou dificuldades em participar em atividades comuns de atividade física, é importante dar atenção redobrada a este grupo vulnerável e muitas vezes esquecido” – sublinha a DRAP Algarve.

Contudo, a informação de qualidade sobre alimentação saudável destinada a pessoas com deficiência visual é ainda muito escassa ou praticamente inexistente em Portugal. Por isso, o Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS) da DGS lança o primeiro documento em braille e leitura aumentada sobre Dieta Mediterrânica.

Tanto mais que a “Dieta Mediterrânica” é “um modelo alimentar que tem por base produtos vegetais, o azeite como gordura principal e métodos de confeção simples, recorrendo a alimentos da época, de proximidade e frescos. Este modelo alimentar saudável foi declarado Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO e, desde então, Portugal tem a obrigação de protegê-lo através de diversas medidas de salvaguarda. Desta forma, o PNPAS contribui também para a sua divulgação na comunidade das pessoas com deficiência visual”.

O texto agora produzido em braille com o apoio da ACAPO – Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal e que será distribuído aos seus associados, reproduz os princípios alimentares da Dieta Mediterrânica, esperando que este seja o primeiro de outros passos destinados a melhorar a saúde alimentar deste grupo da população.

A terminar, é referido que o PNPAS insere este documento na sua missão e estratégia de “informar e capacitar para a compra, confeção e armazenamento de alimentos saudáveis, em especial nos grupos mais desfavorecidos” onde já produziu diferentes documentos e ferramentas pedagógicas destinadas a grupos mais frágeis da população.

Pub

Pub
Mais em Saúde
Covid-19: Rt desceu mas novos casos, internamentos e óbitos subiram

Esta sexta-feira, a Direção-geral da Saúde (DGS) e o Instituto Nacional Doutor Ricardo Jorge (INSA) atualizaram os dados da pandemia e deram

Varíola dos macacos avança em Portugal para 74 casos

A varíola dos macacos continua a aumentar em Portugal, onde nas últimas horas se confirmaram 16 novos casos

No final de junho vamos ter novidades sobre a imunidade contra a covid-19 – CNN

Trinta e seis hospitais públicos e 16 laboratórios privados participam na quarta fase do inquérito serológico nacional, que vai permitir

Covid-19: Governo prolonga situação de alerta até 30 de junho mas regras mantêm-se

Em reunião do Conselho de Ministros desta quinta-feira, o Governo decidiu prolongar a situação de alerta inerente à Covid-19 até ao final do