Loulé: Cidadãos migrantes residentes no Concelho têm novo centro local de apoio à integração

Os cerca de 11 mil cidadãos migrantes que residem no Concelho de Loulé, bem como todos os que escolhem este Município em busca de uma vida melhor, têm desde o passado sábado, um novo espaço onde poderão deslocar-se para obter apoio e informação, contribuindo, assim, para uma melhor integração.

O Centro Local de Apoio à Integração de Migrantes (CLAIM)  - Itinerante de Loulé foi inaugurado pela Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Catarina Marcelino, executivo municipal, consulados e associações de países com representação no Concelho, o qual está a funcionar  junto às novas instalações da Divisão de Coesão Social e Saúde na Rua José Afonso, em Loulé, este espaço de acolhimento, informação e apoio personalizado e descentralizado visa ajudar a responder às necessidades dos migrantes em diferentes áreas: regularização de situação migratória, nacionalidade, reagrupamento familiar, habitação, trabalho, segurança social, língua, retorno voluntário, saúde, educação, formação profissional, empreendedorismo, apoio ao associativismo, entre outras.

Pub

Resultante de uma parceria estabelecida entre a Autarquia de Loulé e o Alto Comissariado para as Migrações, o CLAIM ficará dotado de dois técnicos, e irá cobrir todas as freguesias do Concelho de Loulé, uma vez o atendimento também será prestado em regime de itinerância, fazendo chegar o serviço junto de cidadãos que, de outro modo, não teriam acesso a ele, por exemplo por falta de mobilidade ou de recursos.

Na ocasião, a Secretária de Estado realçou que, Loulé está, desde a primeira hora, neste processo de integração da imigração, nomeadamente com a instalação do CLAI – Centro de Atendimento e Apoio ao Imigrante, em 2010, na freguesia de Almancil, que já atendeu cerca de 2 mil pessoas, mas também com a implementação do Plano Municipal de Loulé para a Integração de Imigrantes 2015-2017, um dos primeiros elaborados a nível do país, que contou com a participação da população migrante.

Por outro lado, Catarina Marcelino sublinhou que relativamente à filosofia dos CLAIM itinerante, permitem que os imigrantes, que muitas vezes trabalham num sítio diferente do local de atendimento, e em horários diferentes, possam ser atendidos. “Tenho a certeza que vai ser um sucesso, espero que possa ser replicado por outros municípios pois, até agora, só o concelho de Odemira integrou este conceito”, adiantou esta responsável.

Sendo Portugal uma referência mundial na integração de imigrantes, para a Secretária de Estado o “novo desafio que é colocado aos países é a integração de refugiados”, pessoas que não tomam a decisão de abandonar o seu país para melhorar a vida do ponto de vista económico mas porque fogem da guerra e da perseguição.

Tendo em conta que os territórios que melhor acolhem os imigrantes são os que se desenvolvem melhor, Vítor Aleixo sublinhou “o trabalho extraordinário nesta área” realizada pela equipa dos serviços sociais da Autarquia. Nesse sentido, Vítor Aleixo referiu que o CLAIM contribuirá para “dignificar o atendimento que é dispensado no Município de Loulé aos imigrantes”.

Dinâmica associativa

Ainda antes da inauguração do CLAIM, a Secretária de Estado visitou a Feira Social do Concelho de Loulé 2017, na Cerca do Convento Espírito Santo, cuja iniciativa, este ano dedicada ao tema “Diversidade Cultural para o Diálogo e Desenvolvimento”, surgiu no âmbito do trabalho desenvolvido pela Rede Social de Loulé, promovida pela Câmara Municipal, com a colaboração das instituições particulares de solidariedade social locais e organismos públicos e teve como objetivo dar a conhecer o trabalho realizado pelas entidades que, no território concelhio, trabalham na área social, assim como as dinâmicas de parceria que vão sendo criadas e fortalecidas.

Pub

Entre outras componentes desta mostra, destacam-se exposições de trabalhos realizados pelas entidades participantes, divulgação da oferta social do Concelho, animação de rua, danças e cantares de alguns países, atividades culturais, campanha de recolha de livros e brinquedos usados e ainda a Exposição de Pintura “Travessias e Profecias”, de Dina Dias.

A responsável governamental pela área da cidadania e igualdade enalteceu a dinâmica social do Concelho de Loulé, protagonizada por uma Rede Social com 90 entidades participantes neste certame, comparando-a mesmo com casos emblemáticos como os de Lisboa ou Sintra.

Catarina Marcelino registou ainda “a integração verdadeira e feliz” dos imigrantes que residem no Concelho que teve oportunidade de testemunhar durante esta visita.

Pub
Mais em Sociedade
Baja de Loulé marcada no primeiro dia pelo calor e por desistências de vulto

Como delineado, a Baja de Loulé arrancou com o prólogo com 5,250 kms junto ao Estádio Algarve, permitindo ao público de Faro e Loulé assistir

De Boca em Boca Mértola com mais “Caminhos Contados”

Com o apoio do Ministério da Cultura através do programa Garantir Cultura, e o apoio…

“Bora lá ao Parque!” em Loulé

O Grupo de trabalho da Rede Municipal de Loulé “Cidade Educadora”, com a colaboração da…

Lagoa Wine Experiences 2022 arranca já este sábado

O Lagoa Wine Experiences dá o pontapé de saída sábado, dia 28 de maio, e…