Jornal diariOnline Região Sul

3.300 Utentes já reclamaram dos serviços prestados pelos transportes públicos no Algarve

Na Semana Europeia da Mobilidade: DECO Algarve alerta - faça greve ao seu carro !

Foi no passado dia 30 de junho que a DECO Algarve lançou a "CAMPANHA ESTES TRANSPORTES NÃO NOS SERVEM – FAÇA GREVE AO SEU CARRO !", com o intuito de contribuir para um maior acesso de todos os cidadãos a uma funcional e adequada rede de transportes públicos, promovendo uma melhor capacidade de intervenção dos consumidores na defesa dos seus direitos.

Porque primeiro é necessário compreender as causas do declínio da utilização dos transportes públicos coletivos e mobilizar os utentes a defender os seus interesses no setor, de uma forma geral a ação tem sido bem acolhida pela população em geral, assim como pelos stakeholders regionais, nomeadamente a Região de Turismo do Algarve e AMAL, que aceitaram o desafio da DECO Algarve em viajar nos transportes públicos coletivos disponíveis entre Faro e Aeroporto, e Tôr e Loulé, tendo nesta última também o Jornal diáriOnline Região Sul aceite o convite, cuja reportagem pode ser lida clicando aqui.

Dando prioridade à mobilidade e a rede de transportes públicos coletivos, a DECO tem em pleno funcionamento desde Março de 2016 a plataforma www.queixasdostransportes.pt, na qual mais de 7.600 consumidores já se inscreveram e subscreveram a Carta dos Direitos dos Passageiros.

Por outro lado, na Semana Europeia da Mobilidade que agora se comemora, a DECO Algarve reivindica para a região uma estratégia de integração e concertação entre os diversos modos de transporte que promova uma efetiva diminuição das assimetrias regionais e que, em simultâneo, permita o desenvolvimento de uma rede de mobilidade inclusiva, nomeadamente turística, indo ao encontro da verdadeira indústria existente na região.

A poucos dias das Eleições Autárquicas, a DECO Algarve apela aos partidos políticos e movimentos de cidadãos que tenham em consideração a importância de uma rede de transportes mais funcional, inclusiva e promotora do desenvolvimento regional, contribuindo para de alguma forma atenuar a sazonalidade.

Em suma, 3.300 Utentes já reclamaram dos serviços prestados pelos transportes públicos, sobretudo da diminuição e/ou supressão das linhas ou carreiras, dos atrasos e das condições de higiene e conforto dos equipamentos, sendo que relativamente à região do Algarve, as reclamações referem-se, maioritariamente, aos transportes rodoviário e ferroviário, não podendo assim fazer greve ao carro.

Comentários

comentários