(Foto:Sapo24.Pt)

Mais de 300 incêndios deflagraram a menos de 24 horas do início (previsto) da chuva

Às 22:00 horas de hoje, domingo, o número de incêndios registados estava em 445, havendo a lamentar dois mortos em Penacova, um morto na Sertã, 25 feridos em diversos locais e muitos prejuízos materiais, incluindo habitações, um carro de combate a incêndios, uma ambulância, máquinas agrícolas, etc...

"Já ultrapassámos os 303 incêndios desde a meia-noite", afirmou aos jornalistas Patrícia Gaspar, responsável adjunta da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), no 'briefing' das 17:30 horas de hoje, sublinhando que estavam àquela hora "todos os meios disponíveis empenhados no combate aos incêndios".

A responsável afirmou ainda que, às 17:30 horas, existiam 13 incêndios de importância elevada, destacando como mais graves os que lavravam nos concelhos de Monção, Seia, Vale de Cambra, Lousã, Sertã e Arganil, na Serra do Açor, onde diversas aldeias estavam em perigo, segundo diversas notícias dos meios de comunicação social que acompanham este fenómeno.

Pub

Não deixa de ser estranho que mais de 300 incêndios deflagraram a menos de 24 horas do início previsto da chuva anunciada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera. A adjunta de operações nacional da ANPC indicou aos jornalistas mais de 15 povoações que tiveram de ser evacuadas devido aos fogos.

Entretanto, a adjunta de operações nacional da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC) Patrícia Gaspar afirmou que hoje "foi o pior dia do ano em matéria de incêndios", tendo sido ultrapassados os 300 fogos florestais, contabilizados a partir das 00:00.

Há, em diferentes zonas do país, habitações ardidas, várias aldeias evacuadas e mais de 20 estradas cortadas (inclusive autoestradas, estradas nacionais e itinerários principais) em diferentes zonas do país

Já esta tarde, teve lugar uma reunião extraordinária do Centro de Cooperação Operacional Nacional, que foi presidida pela ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa.

Pub

De acordo com notícias veiculadas pela Lusa, mais de 20 estradas foram cortadas devido a incêndios, entre autoestradas (A1, A11 e A25), estradas nacionais, estradas municipais, itinerários principais (IP3 e IP6) e itinerários complementares.

Patrícia Gaspar afirmou que hoje "foi o pior dia do ano em matéria de incêndios", tendo sido ultrapassados os 300 fogos florestais. Segundo a ANPC, às 18:45 horas estavam ativos 18 “grandes incêndios” em todo o país, tendo os fogos provocado ao longo do dia 23 feridos e a destruição de várias casas. Entretanto, novo balanço era feito por Patrícia Gaspar, por volta das 22:00 horas e o número de incêndios hoje activos ascendeu a 445.

Na região algarvia, bem como nos distritos de Beja e Évora, não se registou hoje qualquer incêndio, de acordo com a informação disponibilizada no site da Proteção Civil.

Pub
Mais em Ambiente
Culatra
Protótipo de dessalinização não intrusiva para a Ilha da Culatra vence concurso

O projeto «Culatra2030 – Non intrusive water desalination», coordenado por investigadores do Centro de Investigação Marinha e Ambiental

Aspirante Geoparque apresenta “Plantas Invasoras” nas escolas de Albufeira

O aspirante Geoparque Algarvensis, constituído pelos municípios de Loulé, Silves e Albufeira, assina a ação…

Loulé: Conselho de Ação Climática com novas sinergias

Passados dois anos, o Conselho Local de Acompanhamento da Ação Climática do Município de Loulé,…

Loulé adere à “Semana das Espécies Invasoras”

De 22 de maio a 3 de junho, o Município de Loulé envolve-se na realização…