Jornal diariOnline Região Sul. O seu portal de notícias Algarve e Alentejo Portugal

PSD diz que política cultural do governo menoriza Algarve

O deputado José Carlos Barros (PSD), eleito pelo Algarve, questionou o ministro da Cultura sobre as verbas inscritas para o Algarve no Programa Cultura, considerando que as opções do Orçamento de Estado refletem “uma inaceitável menorização da região”.

Na audição ao Ministério da Cultura, o parlamentar realçou que a repartição regionalizada dos programas e medidas do OE’2018, nomeadamente em relação ao Programa Cultura, considera para o Algarve um valor que “não chega a 2%” do montante global para o continente.

Para o Algarve, estão destinados apenas 391.990 euros, de uma verba total superior a 36,5 milhões de euros.

“As verbas da componente não regionalizada encontram-se diretamente associadas ao financiamento das direções regionais de Cultura, assumindo particular importância na perspetiva da sua capacidade de intervenção e atuação a nível regional”, assinala o deputado social-democrata.

Por outro lado, o parlamentar do PSD eleito pelo círculo de Faro já tinha acusado o governo de não cumprir as promessas sobre as portagens da Via do Infante (A22) feitas na campanha eleitoral para as legislativas de 2015.

Na audição de segunda-feira ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas, no âmbito do processo de discussão na especialidade do Orçamento de Estado, o parlamentar algarvio lembrou que o PS tinha prometido a “redução imediata de 50% do valor das portagens e uma Via do Infante tendencialmente gratuita”, questionando o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, sobre a matéria.

Em resposta ao deputado do PSD, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas referiu que o governo baixou as portagens da Via do Infante em agosto de 2016, “com impacto muito positivo nos utilizadores”.

“Não fez, no entanto, qualquer referência ao valor dessa redução, que, como se sabe, foi de 15% – muito longe dos 50% assumidos em setembro de 2015”, frisou José Carlos Barros.

O deputado do PSD criticou ainda as posições do Bloco de Esquerda e da CDU, recordando que, “não obstante defenderem publicamente o fim das portagens, a verdade é que se preparam para aprovar o terceiro Orçamento de Estado que considera exatamente o contrário”.

Exit mobile version