Jornal diariOnline Região Sul

Rede de cuidados continuados integrados reforçada no Algarve

A capacidade assistencial da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados no Algarve foi reforçada com a ampliação de dez camas em Portimão e a reconversão de outras dez camas em Azinhal (Castro Marim), num total de 529 camas em toda a região.

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, o Centro Distrital de Faro da Segurança Social e as entidades gestoras das unidades de internamento Al-Vita e do Azinhal celebraram ontem, sexta-feira, 9, as adendas aos respetivos contratos-programa, com vista à ampliação de dez camas de cuidados continuados integrados nas tipologias de convalescença (cinco) e de média duração (cinco), na unidade Al-Vita, em Portimão, e a reconversão de dez camas de média duração e reabilitação em longa duração e manutenção na unidade do Azinhal (Castro Marim).

Com este reforço, a região algarvia dispõe atualmente de um total de 529 camas de internamento destinadas a cuidados continuados integrados, sendo 74 camas de convalescença, 138 camas para internamentos de média duração e reabilitação e 317 camas para internamentos de longa duração e manutenção.

“O Algarve é uma das regiões do país que neste momento oferece maior cobertura assistencial a nível de internamento em cuidados continuados integrados. Também é a região que apresenta a taxa de ocupação mais elevada para todas as tipologias de internamento”, destacou a ARS, em comunicado.

A cerimónia de assinatura decorreu na sede da ARS/Algarve, em Faro, contando com a presença do presidente e da vogal da instituição, Paulo Morgado e Josélia Gonçalves, da diretora do Centro Distrital de Faro da Segurança Social, Margarida Flores, da coordenadora regional de Cuidados Continuados Integrados do Algarve, Fernanda Faleiro, da gerente da Pro-FN, Serviços de Saúde, Ldª, da Unidade Al-Vita, Ana Paula Nunes, e do presidente e vice-presidente da Associação de Bem Estar Social da freguesia do Azinhal, António Manuel Martins Pereira e Luís Manuel Dias Martins.



Comentários

comentários