Jornal diariOnline Região Sul

Compromisso

Sempre que ouvimos a palavra compromisso ela pode ser absorvida com “um certo peso” de mais uma obrigação para ser cumprida ou com a “leveza de” se ter uma promessa a ser levada a cabo.

Estamos familiarizados com as duas polaridades, a satisfação do compromisso que apraz e aquele que nem tanto.

A dinâmica das relações interpessoais funciona tendo por base acordos, grande parte tácitos, entre a “obrigação gratuita” de dar, receber e retribuir. Ficou-me marcado e acompanha-me há 16 anos, o “O Ensaio sobre a Dádiva” de Marcel Mauss que se baseia numa investigação a tribos da Polinésia e os rituais estabelecidos entre elas, o “Potlach”, cerimónias sagradas em que era uma honra cada um dar ao outro o melhor que possuía e receber o melhor do outro. A dádiva da generosidade na relação humana.

Numa cultura capitalista e consumista é importante olhar para trás e ressuscitar valores e novas formas de diálogo.

Somos seres sociais, e a troca está sempre implícita, os compromissos, os acordos. De que forma o estamos a viver?

Defendo a necessidade de instalar o novo paradigma do “ser”, é preciso ser, entrar em diálogo com as pessoas que nos habitam. Como bem nos mostra Fernando Pessoa que deu voz a vários heterónimos. Temos várias personalidades dentro que precisam de ser ouvidas, acarinhadas e harmonizadas.

Habituámo-nos a dar resposta aos compromissos exteriores, com os outros, e como andam os compromissos contigo? Com o ser que te habita?

Há que resgatar a relação genuína com o ser, estabelecer um compromisso de autenticidade. De te poderes ver, escutar, sentir, saborear, tocar para que em consequência possas relacionar-te com o exterior na mesma proporção.

Quantas vezes entramos em conflito nas dinâmicas relacionais, reagimos à defesa ou ataque, somos impacientes, intolerantes, exigentes…

Como está a tua relação intrapessoal? Quanto te criticas, julgas, frustras?

A única certeza que tens é que nasces e morres só, e a escolha de como queres relacionar-te contigo é TUA. Não sabes por quanto tempo estarás por cá, que possas ter como prioridade o compromisso de longo prazo, de te tratar com Amor. Que seja esse o teu com-prometer, tua promessa.

* Comunicação & Coach



Comentários

comentários