Jornal diariOnline Região Sul

Mais de 82 toneladas de lixo recolhidas no Algarve no “Dia Nacional dos Caçadores pelo Ambiente 2018” – c/ áudio e vídeo

A acção promovida ontem, dia 20 de maio, pela Federação de Caçadores do Algarve (FCA) em todos os concelhos da Região Algarvia, intitulada “Dia Nacional dos Caçadores pelo Ambiente 2018”, teve como resultado, mais de 82 toneladas de lixo recolhidas em vários locais, deixando o ambiente no seu todo mais limpo.

Vítor Palmilha, presidente da FCA, explicou a acção em Monchique, a qual para além da recolha de lixo, teve a componente de limpeza e desmatação em redor de algumas casas para prevenir incêndios, tendo no uso da palavra durante o almoço, referido e agradecido o empenho de Miguel Freitas, Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, na "resolução de algumas questões relacionadas com a caça, que há muito os caçadores desejavam."

A preparação de uma queima controlada com o apoio, essencial, dos Bombeiros de Monchique

A acção de limpeza em redor das casas, cujos proprietários não têm condições para o fazer, teve lugar nas Freguesias de Marmelete e Monchique, contou com a presença de Miguel Freitas, entre outras individualidades ligadas ao ICNF - Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, à Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve e à Confederação Nacional do Caçadores Portugueses, cujo presidente se deslocou de propósito desde o norte do país.

Luís Pacheco, presidente do Clube de Caçadores de Marmelete, explicou a Miguel Freitas o que os caçadores estavam fazendo, demonstrando que "os caçadores estão disponíveis todo o ano, contribuindo para que não haja fogos e para que o risco de incêndio seja minimizado ao máximo."

 

Miguel Freitas, no uso da palavra, realçou a importância da iniciativa própria em prol da proteção da floresta, em particular pela dedicação dos caçadores, a quem se mostrou grato. O Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural exaltou o facto dos "caçadores serem muito importantes para o espaço rural," bem como realçou a importância que o "trabalho de preservação da floresta tenha que ser feito em equipa."

A 10ª edição desta louvável iniciativa em prol do ambiente e em especial da floresta, ao contrário do que normalmente algumas pessoas dizem, que os caçadores apenas se preocupam com a caça, contou com a força de trabalho de mais de 3.000 caçadores associados em clubes de caça e pesca, associações de caçadores e empresas de turismo cinegético filiadas na Federação de Caçadores do Algarve.



Comentários

comentários