Jornal diariOnline Região Sul. O seu portal de notícias Algarve e Alentejo Portugal

Abrigo dos Animais quer criar três centros para 600 animais abandonados do Algarve

A associação Abrigo dos Animais (Animal Rescue Algarve) vai criar três centros temporários no Algarve para albergar cerca de 600 cães e gatos abandonados e maltratados da região.

“O Algarve está prestes a ter um dos maiores santuários animais do país, graças à generosidade de um homem que decidiu fazer um substancial investimento para concretizar um sonho há muito planeado”, refere a associação, em comunicado.

Sidney Richardson, o inglês responsável pela maior parte do financiamento deste projeto animal, está radicado em Portugal há 25 anos e, há 12, resgatou uma cadela de uma associação local.

“Ela tornou-se na minha melhor amiga e mudou a minha vida. Juntando este episódio ao facto de não existirem respostas para a problemática dos animais abandonados neste país, e em específico no Algarve, onde a responsabilidade recai totalmente sobre pequenas associações de animais geridas com escassos recursos, apercebi-me de que este era o caminho a tomar. Decidi então, em vez de deixar um testamento com indicações, aplicar o dinheiro ainda em vida, e assegurar-me de que o projeto é realmente construído e colocado em ação”, sustentou o benemérito.

A ideia, que em breve passará do papel para a realidade, é construir simultaneamente três abrigos para animais, em diferentes localizações no centro do Algarve.

No total, deverão ter a capacidade para albergar 600 animais e empregar cerca de 25 trabalhadores. Os santuários terão vigilância 24 horas por dia durante os sete dias da semana e funcionários de forma permanente no local.

O primeiro centro, denominado «Cabanita» e situado em Loulé, deverá alojar, a partir de outubro, apenas uma pequena parte do total de 600 animais que ali permanecerão até encontrarem as suas famílias definitivas.

Foram ainda identificados dois outros locais que estão agora sob apreciação, em São Brás de Alportel e novamente em Loulé, estando previstas parcerias com as autarquias locais.

“Porque se estima que existam cerca de 10 mil animais abandonados só na região do Algarve acreditamos que tem de haver uma resposta para este problema”, salienta a Abrigo dos Animais.

“A nossa missão é ajudar os animais abandonados, doentes, maltratados e providenciar assistência veterinária, esterilização, socialização, treino e novos lares junto de famílias definitivas”, acrescenta-se.

A construção do santuário animal obedecerá “a um design moderno e ecológico”, desde o sistema de esgotos que reaproveita a água para outros trabalhos até às instalações altamente isoladas que alojam os animais, permitindo-lhes viver com o máximo de conforto e qualidade de vida.

As instalações incluem espaços como uma recepção com zona de espera e um pequeno campo de treinos equipado com materiais, para proporcionar a interação de pessoas e cães, um departamento veterinário com sala de operações e recobro, áreas para cachorros, adultos e seniores, uma zona de quarentena e ainda instalações confortáveis equipadas para receber voluntários locais, nacionais e internacionais. Para além dos cães, existirá ainda áreas para alojar felinos.

Todos os contributos são considerados necessários pela associação porque, embora os fundos para a construção das três infraestruturas já estejam garantidos, “de nada serve financiar o desenvolvimento do santuário se o projeto não se mantiver autossustentável a longo prazo”, salientou Sidney Richardson.

“Há que garantir que no futuro continuaremos a ter fundos de maneio para gerir a associação. Precisamos de patrocinadores. Responsabilizamo-nos por criar excelentes instalações mas pedimos apoio aos municípios, público e outras instituições”, concluiu.

Quem quiser contribuir com donativo, trabalho voluntário ou simplesmente informar-se melhor sobre o projeto, a equipa e os cães e gatos para adoção, poderá saber mais através do sítio https://animalrescuealgarve.com.



Exit mobile version