Jornal diariOnline Região Sul

Chumbo da requalificação da EN125 “põe a nu comportamento do governo” – PSD/Algarve

A comissão política distrital do PSD/Algarve considera que o chumbo da requalificação da EN125 no sotavento pelo Tribunal de Contas “põe a nu” o comportamento do governo no processo.

“Já é tempo de assumir as responsabilidades. A culpa era do Tribunal de Contas, agora passou para o PSD, a seguir será de não sabemos quem mais. Quem tem a responsabilidade de governo deve honrar o seu mandato. É isso que esperamos e que os algarvios exigem”, sustentou a estrutura liderada por David Santos.

Na semana passada, o Tribunal de Contas recusou o visto prévio à revisão do contrato da Subconcessão do Algarve Litoral, inviabilizando uma intervenção de fundo prevista para a EN125, entre Olhão e Vila Real de Santo António.

“O atual governo sempre alegou que o problema das obras entre Olhão e VRSA era o Tribunal de Contas e fê-lo escudando-se nessa instituição para se eximir das suas responsabilidades”, sublinhou o PSD/Algarve, em comunicado.

“A renegociação da concessão apresentada pelo Governo PS fracassou. Foi chumbada em 2017 e novamente em 2018. Não obstante esse facto, em 2016, 2017 e 2018 foram-nos apresentados calendários de obras, calendários não cumpridos sucessivamente. Nunca foi intenção do governo avançar com a obra, por isso levou mais de dois anos a apresentar pela primeira vez o processo no Tribunal de Contas”, acrescenta a estrutura partidária.

O PSD/Algarve garante que apoia a obra de requalificação “seja quem for governo”, mas “não admite nem tolera o engano e a dissimulação que têm marcado este processo”.

A Infraestruturas de Portugal, que entretantou avançou para uma obra de “emergência”, nomeadamente na repavimentação dos pisos mais degradados daquele troço, anunciou que vai recorrer da decisão do Tribunal de Contas.



Comentários

comentários