Jornal diariOnline Região Sul

Governo abre concurso para 30 novas equipas de sapadores florestais

O procedimento prévio à abertura do concurso já está disponível na página do Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF)

A partir de 17 de julho, o Governo abre um concurso para criação de 7 novas Brigadas de Sapadores Florestais, que incluem 3 equipas cada uma, e de mais 9 Equipas de Sapadores Florestais, sendo no total, criadas 30 novas Equipas de Sapadores Florestais, o que traduzirá num reforço de mais 150 operacionais, que se juntarão aos mais de 2.000 efetivos que integram o Programa Nacional de Sapadores Florestais.

Este concurso, que estará aberto até 31 de agosto, integra-se no âmbito do Plano Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PNDFCI), que estabelece o aumento do contributo destas equipas para o trabalho de minimização do risco de incêndio e diminuição da área ardida, cumprindo, assim, os objetivos da Estratégia Nacional para as Florestas, que prevê a existência de 500 equipas de Sapadores Florestais até final de 2019.

Financiado pelo Fundo Florestal Permanente em 1.950.000.00 Euros, o concurso está estruturado em dois lotes. O primeiro visa a criação de um máximo de sete Brigadas de Sapadores Florestais e tem como beneficiários as Comunidades Intermunicipais, as Áreas Metropolitanas e os Agrupamentos ou Associações de Municípios.

O segundo lote tem como objetivo a criação de Equipas de Sapadores nas áreas prioritárias, identificadas pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF). A este lote podem candidatar-se entidades gestoras de Zonas de Intervenção Florestal (ZIF), órgãos de gestão de baldios e suas associações, associações e cooperativas reconhecidas como Organizações de Produtores Florestais registadas no ICNF e Juntas de Freguesia e respetivos agrupamentos e associações.

Os Sapadores Florestais são agentes de proteção civil, organizados em estruturas locais especializadas, vocacionadas para o desenvolvimento de ações de silvicultura preventiva, sensibilização e vigilância, primeira intervenção e apoio a operações de rescaldo e vigilância ativa pós-rescaldo.



Comentários

comentários