Jornal diariOnline Região Sul

Situação “mais estável” mas Fóia e Silves continuam a preocupar

Patrícia Gaspar - 2.ª comandante operacional nacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil

A frente mais agressiva do fogo que teve início dia 3 de agosto na Perna da Negra em Monchique, lavrava no concelho de Silves, mais a leste de Monchique, foi dominada esta manhã.

Num 'briefing' realizado em Monchique esta manhã, a 2.ª comandante operacional nacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil, Patrícia Gaspar, informou que "a situação é agora mais estável", durante a noite foi possível "fazer bons progressos" no combate, estando as operações "mais estabilizadas no terreno" comparativamente à tarde de ontem.

Patrícia Gaspar referiu que as zonas mais críticas são a Fóia, na frente oeste do incêndio, e Silves, a leste do concelho de Monchique.

Para hoje preveem-se ventos que poderão chegar aos 35/40 quilómetros por hora e uma temperatura máxima de 35 graus, além de uma humidade relativa que poderá chegar aos 50%, o que configura um cenário semelhante ao de terça-feira, durante o dia.

A esta hora estão no teatro de operações estão 1.435 operacionais, apoiados por 447 meios terrestres e 12 meios aéreos, segundo indicação do site da Proteção Civil.



Comentários

comentários