Jornal diariOnline Região Sul

DGS alerta para perigo de inalação de fumos

A Direção-Geral da Saúde (DGS) alerta para o perigo de inalação de fumos ou de substâncias químicas.

O calor pode provocar danos nas vias respiratórias e a DGS emitiu recomendações sobre como agir nestas situações.

As populações afetadas devem permanecer no interior das habitações, afim de evitarem os efeitos da excessiva concentração de fumo.

Em comunicado, na sequência dos incêndios de Monchique, a DGS recorda que existem lesões de inalação devidas ao calor que provocam obstrução e risco de infeção.

Além da lesão pelo calor, há possibilidade de lesão pelas substâncias químicas do fumo que provocam inflamação e edema com tosse, broncoconstrição e aumento das secreções.

A DGS alerta ainda para o facto de serem as crianças, os doentes respiratórios crónicos e os idosos os mais vulneráveis. Existe igualmente a possibilidade de surgirem lesões mais tardias e mais graves, com destruição celular, que em casos extremos causam falência respiratória.

O mito do leite

A DGS alerta ainda para o mito do leite, esclarecendo que este não é um antídoto para o monóxido de carbono. Não vem descrita em artigos científicos a sua utilidade.

Em caso de emergência deve ligar-se para o 112 e para obter informações para a linha SNS 24: 808 24 24 24.

Nas situações em que já houve inalação de fumo, a pessoa deve ser retirada do local e evitar que respire o fumo ou esteja exposta ao calor, adianta a DGS.

Os sinais de alarme resultantes desta situação são queimaduras faciais, sinais de dificuldade respiratória ou alteração do estado de consciência.


Comentários

comentários