Jornal diariOnline Região Sul

Cinco milhões de euros dão resposta aos prejuízos dos agricultores afetados pelo incêndio

(Foto: Luís Silva)

As candidaturas aos apoios disponibilizados pelo governo para minimizar os prejuízos sofridos pelos agricultores no incêndio de Monchique já estão abertas, estando disponível um valor de 5 milhões de euros.

“Estão disponíveis 5 milhões de euros, para dar resposta a prejuízos de agricultores das freguesias afetadas pelo incêndio”, anunciou o Ministério da Agricultura, em comunicado.

A região foi visitada na passada sexta-feira pelo ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, que anunciou o desencadeamento de medidas de apoio “tão rapidamente quanto possível”, dando prioridade máxima ao processo de candidaturas no âmbito da medida 6.2.2 do PDR2020, uma medida complementar ao apoio à alimentação animal, que já está no terreno.

Trata-se da medida que vai apoiar financeiramente a reposição de animais, culturas permanentes, máquinas e equipamentos agrícolas, armazéns e outras infraestruturas de apoio à atividade agrícola.

São elegíveis investimentos a partir de 100 euros e até 800 mil, com níveis de apoio distribuídos da seguinte forma: 100% até 5.000 euros; 85% entre 5.001 e 50.000 euros; 50% entre 50.001 e 800.000 euros.

O valor do apoio resulta da soma dos valores correspondentes a cada nível e as despesas são elegíveis a partir da data da ocorrência do incêndio.

Os 5 milhões de euros estão disponíveis para agricultores das freguesias de Alferce e Monchique (concelho de Monchique), Sabóia e São Teotónio (Odemira), Mexilhoeira Grande e Portimão (Portimão) e São Bartolomeu de Messines, São Marcos da Serra e Silves (Silves).

As candidaturas estarão abertas até ao dia 30 de setembro e as condições de acesso a estes apoios estão definidas na portaria 232-B/2018, de 20 de agosto, e no guia do beneficiário com o número OTE 86/2018.

Esta documentação, bem como o formulário de candidatura, estarão acessíveis no site do PDR 2020, em www.pdr-2020.pt.

O incêndio deflagrou na zona da Perna da Negra, em Monchique, no dia 3 de agosto e lavrou durante uma semana, atingindo outros três concelhos - Odemira, Silves e Portimão - e consumindo mais de 27 mil hectares.



Comentários

comentários