Jornal diariOnline Região Sul

JSD/Algarve pede investimento na Linha Ferroviária do Algarve

A JSD/Algarve desafiou hoje os socialistas da região a circular de comboio entre Lagos e Vila Real de Santo António, exigindo ao governo investimentos na Linha Ferroviária do Algarve, “uma das pior servidas pela CP em todo o país”.

Os jovens sociais-democratas vão utilizar o comboio para se deslocarem à Festa do Pontal do PSD, que este ano se mudou para Querença, no interior do concelho de Loulé, e está marcada para sábado, 1 de setembro.

“Esta iniciativa visa acompanhar o estado deste importante meio de transporte para a região, sem necessidade de fretar comboios e criar anomalias na circulação de quem necessita diariamente desta via de transporte, contrariamente ao feito pelo PS, mais a norte no país, no passado fim-de-semana”, refere a JSD, em comunicado.

A JSD/Algarve lançou igualmente um desafio aos socialistas da região. “Não se fiquem pelo conhecimento adquirido no passado sábado, na linha ferroviária entre o Pinhal Novo e Caminha, e venham verdadeiramente conhecer as dificuldades no cumprimento de horários, supressões de linha e mau estado de conservação de diversos apeadeiros e estações da CP entre Lagos e Vila Real de Santo António.”

Os jovens sociais-democratas pedem que matérias estruturantes para a região, como a mobilidade, “sejam olhadas de forma suprapartidária” e que, neste caso específico, “o PS/Algarve, apoiante de um governo que não investe na linha do Algarve, apele ao seu secretário-geral para circular também naquela que é uma das linhas pior servidas pela CP em todo o país”.

A JSD/Algarve tem vindo, nos seus diversos mandatos, a assinalar as dificuldades sentidas pelos jovens algarvios, tendo já transmitido esta preocupação à direcção da Associação Académica da Universidade do Algarve com objectivo de “criar sinergias para a construção de melhores condições de transporte aos milhares de jovens algarvios que estudam na região”.

Em comunicado, o presidente da JSD/Algarve, Carlos Gouveia Martins, revelou ainda que a estrutura e vários cidadãos sem filiação partidária, jovens deslocados de outros distritos que estudam no Algarve ou ainda trabalhadores da região, estão “num processo muito avançado de recolha de comprovativos da CP [supressões e atrasos de linha que são entregues aquando estas falhas] que validam a deterioração da qualidade deste serviço no Algarve”.

A informação será entregue ao conselho de administração da CP e aos ministro e secretário de Estado da tutela.



Comentários

comentários