Jornal diariOnline Região Sul

Plano de Ação e Salvaguarda da Dieta Mediterrânica no Algarve já foi aprovado

A versão definitiva do Plano de Ação e Salvaguarda da Dieta Mediterrânica para a região do Algarve, que define um plano de atividades de três anos, já foi aprovada, após um período de consulta pública.

O documento integra os contributos das entidades que elaboraram a candidatura da dieta mediterrânica (DM) a Património Cultural Imaterial da Humanidade, apresentada por sete países (Portugal, Chipre, Croácia, Grécia, Espanha, Itália e Marrocos) e aprovada no dia 4 de dezembro de 2013, na 8.ª Sessão do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial da UNESCO.

Na introdução do plano, Francisco Serra, presidente da Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR Algarve) e da Comissão Regional da Dieta Mediterrânica, sublinha a necessidade de assegurar “a articulação entre as ações e atividades de forma a otimizar as ligações e sinergias entre os parceiros, garantindo uma atuação concertada a nível regional e dando resposta à concretização do plano de salvaguarda”.

Com a apresentação do plano de atividades para o período 2018-2021, sublinha o responsável, “pretende-se apoiar a sua continuidade de modo sustentável e transmitir às gerações vindouras o conceito da dieta mediterrânica”.

Francisco Serra, destacou o papel da Universidade do Algarve na elaboração do documento, no qual estão “listadas intervenções que foram objeto de consenso regional, sendo um projeto transversal ao território e estruturante no âmbito da estratégia regional pela capacidade que têm em mobilizar domínios relevantes para a região da identidade à produção e consumo”.

“O esforço de valorização e promoção dos valores culturais e naturais deverá ser encarado como uma oportunidade para o desenvolvimento de atividades com relevância socioeconómica e como forma de acrescentar valor à oferta regional contribuindo para a consolidação do turismo cultural e de natureza e para o combate à sazonalidade”, conclui o presidente da CCDR Algarve.

Tendo integrado o grupo de trabalho que preparou a candidatura em 2011, a CCDR/Algarve dinamizou a constituição de uma Comissão Regional da Dieta Mediterrânica em 2014, a qual tem como objetivo acompanhar os projetos ligados à dieta mediterrânica no Algarve que têm vindo a ser aprovados no âmbito dos Programas Operacionais regionais.

A estrutura integra a CCDR/Algarve, Universidade do Algarve, Município de Tavira, Direção Regional de Cultura do Algarve, Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve, Região de Turismo do Algarve, Turismo de Portugal (Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve - Faro e Escola de Hotelaria e Turismo de Vila Real de Santo António), Associação In Loco, Associação dos Hoteleiros e Industriais do Algarve, Confraria dos Gastrónomos do Algarve, Confraria dos Enófilos e Gastronómica do Algarve, Tertúlia Algarvia e Fundação Portuguesa de Cardiologia – Algarve.

Identificação, investigação e documentação; preservação e proteção; promoção e valorização; e transmissão, através da educação formal e não formal, são os quatro pilares do plano, que ficará disponível para consulta pública e monitorização nos suportes de comunicação digital de todos os parceiros.



Comentários

comentários