Jornal diariOnline Região Sul

Mais de 100 mortos durante a Operação Hermes da GNR

Entre os dias 29 de junho e 3 de setembro, a Guarda Nacional Republicana (GNR), intensificou as ações de patrulhamento, fiscalização e apoio aos utentes das vias rodoviárias, com o objetivo de garantir a sua segurança durante os deslocamentos de e para os locais de veraneio e eventos de diversão natureza, próprios desta altura do ano.

Esta operação privilegiou uma atuação preventiva nos principais eixos rodoviários (autoestradas, itinerários principais, itinerários complementares e estradas nacionais), assim como nos acessos às localidades e respetivas artérias, no sentido de reduzir a sinistralidade e evitar comportamentos de risco.

Das ações de fiscalização realizadas, durante o período referido, foram detidos 3.195 condutores, sendo 1.998 condutores por condução com taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 gramas/litro e 797 por falta de habilitação legal para o exercício da condução.

Foram detetadas 105.180 infrações, destacando-se 36.075 por excesso de velocidade, 5.525 por condução com uma taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei, 4.047 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças, 3.667 por uso indevido de telemóvel no exercício da condução, 225 pela não circulação na via mais à direita.

No que diz respeito à sinistralidade, durante a Operação Hermes, comparativamente à operação homóloga de 2017, a GNR registou 15.720 acidentes (menos 433), 100 mortos (mais 13), 398 feridos graves (mais 19), e 5.205 feridos leves (menos 609).



Comentários

comentários