Jornal diariOnline Região Sul

Mais de 45 mil utentes algarvios vão ter novo médico de família

Vinte e quatro das 27 vagas abertas para o Algarve no concurso para médicos de Medicina Geral e Familiar ficaram preenchidas, permitindo atribuir médico de família a mais de 45 mil utentes, anunciou a Administração Regional de Saúde (ARS).

O presidente da ARS/Algarve, Paulo Morgado, recebeu, na segunda-feira, o primeiro grupo de 17 destes 24 médicos de Medicina Geral e Familiar, que escolheram os Agrupamentos de Centros de Saúde na região do Algarve para trabalharem, sendo que os restantes sete profissionais especialistas da área de Medicina Geral e Familiar vão celebrar o contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado com a ARS/Algarve no decorrer dos meses de setembro e outubro.

Neste concurso, foram publicitadas a nível nacional 378 vagas, sendo que, no Algarve, das 27 vagas colocadas a concurso, 24 ficaram ocupadas, correspondendo a 89% de taxa de ocupação, a mais elevada de sempre, destacou a ARS.

Dos 24 médicos colocados, originários de várias zonas do país e também do estrangeiro, onze concluíram a formação fora da região e 13 realizaram o internato na região, permitindo desta forma alargar a cobertura assistencial dos cuidados de saúde primários e atribuir médico de família a mais 45.600 utentes no Serviço Nacional de Saúde da Região do Algarve.

Os profissionais iniciam funções a partir de setembro nas respetivas unidades funcionais de saúde.

Um médico foi colocado na Divisão de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (DICAD), um no ACeS Sotavento (concelho de Tavira), nove no ACeS Barlavento (concelhos de Lagoa, Portimão, Silves e Vila do Bispo), 13 no ACeS Central (concelhos de Albufeira, Faro, Loulé e São Brás de Alportel), tendo ficado por ocupar as vagas de Alcoutim, Faro e da DICAD.

O presidente do conselho diretivo da ARS/Algarve congratulou os novos colegas, “médicos de corpo inteiro”, por terem escolhido o Algarve para iniciar uma “nova fase profissional de ainda maior responsabilidade” após do internato, abordando os vários desafios futuros que a região apresenta em termos de projetos novos.

“A integração destes médicos de Medicina Geral e Familiar nos cuidados de saúde primários da ARS Algarve vai contribuir para melhorar e reforçar a prestação de cuidados de saúde de proximidade”, sustenta a ARS/Algarve.

A taxa de cobertura de utentes com médico de família no Algarve, nos dois últimos anos, “tem evoluído de forma consistente e positiva”, sustenta Paulo Morgado, sendo que cerca de 90% da população tem médico de família atribuído.



Comentários

comentários