Jornal diariOnline Região Sul

Estudantes algarvios compõem 60% do número de colocados na UAlg

Sessenta por cento dos 1210 alunos colocados na Universidade do Algarve (UAlg) na primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior são provenientes de escolas secundárias da região algarvia.

Com um total de 727 alunos algarvios colocados, mais 7 pontos percentuais face ao ano transato (mais 46 candidatos colocados), a Universidade do Algarve “continua a ser a primeira escolha para os candidatos algarvios construírem o seu futuro académico”, refere a instituição, em comunicado.

As escolas secundárias do concelho de Faro já representam 30% dos colocados com proveniência na região do Algarve, seguindo-se Loulé com 15%, Olhão com 11%, Albufeira e Portimão ambas com 10%.

Destes 727 candidatos colocados provenientes do Algarve mais de metade provêm de sete escolas secundárias algarvias: Escola Secundárias Tomás Cabreira (94) e Escola Secundária João de Deus (93), ambas em Faro; Escola Secundária Dr. Francisco Lopes (76), em Olhão; Escola Secundária de Loulé (73); Escola Secundária de Albufeira (53); Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes (45), em Portimão; e Escola Secundária Dr. Jorge Augusto Correia (40), em Tavira.

Em simultâneo, o recrutamento da UAlg cresceu nos distritos do sul do país, sobretudo nos de Lisboa (+3%), de Beja (+9%) e de Setúbal (+16%), que, juntamente com o de Faro, já representam 82% da proveniência dos candidatos colocados.

De resto, 63% dos candidatos colocados na Universidade do Algarve (UAlg) escolheram esta Academia como primeira opção (764 num universo de 1210), constituindo um aumento face a 2017, em que 56% (646 em 1165) o haviam feito. Ao mesmo tempo, a UAlg colocou-se bem acima da média nacional de candidatos colocados em primeira opção, que este ano se situou nos 55%.

Para Paulo Águas, reitor da UAlg, “o resultado obtido traduz a forte ligação da universidade à região, reforçando o papel que a instituição tem na qualificação dos jovens algarvios”.

“Não queremos ser uma universidade regional, sendo prova disso o sucesso que temos vindo a registar no recrutamento de estudantes internacionais, mas assumimos a responsabilidade de sermos a universidade da região”, salientou.



Comentários

comentários