Jornal diariOnline Região Sul

Alvalade recua 508 anos no tempo para recriação histórica

Uma viagem ao passado de 508 anos é a proposta da iniciativa Alvalade Medieval para todos os que visitem a vila do concelho de Santiago do Cacém, entre 14 e 16 de setembro.

A recriação histórica pretende assinalar a atribuição da Carta de Foral à Vila de Alvalade, que aconteceu a 20 de setembro de 1510, pela mão do Rei D. Manuel I. A iniciativa é organizada pela Associação Cultural Amigos de Alvalade e conta com o apoio da Câmara Municipal de Santiago do Cacém e da Junta de Freguesia de Alvalade.

O Chanceler del Rey D. Manuel I ordena, em nome de sua majestade, que se faça feira durante três dias em Alvalade. Em cortejo, trajados com rigor, o rei e o seu séquito, assim como as diferentes classes da época, percorrem as ruas do burgo.

No mercado, dezenas de artesãos recriam ao vivo as profissões e ofícios da época, enquanto nas tabernas os cheiros e sabores de outros tempos se fazem sentir; arrojados cavaleiros batem-se em torneios para impressionar as donzelas, e conquistar honrarias do rei; os saltimbancos trazem música e animação, odaliscas dançam ao som de ritmos de terras distantes; há cuspidores de fogo, acrobatas, encantadores de cobras e domadores de aves de rapina, lê-se a sina e adivinha-se o futuro, mendigos e leprosos procuram caridade.

Várias representações teatrais trazem à praça e ruas da Vila de Alvalade a vida na Idade Média. Conheça a história do rocambolesco casamento de Maria Eugénia, que leva dois cavaleiros, à revelia do bispo, a baterem-se num torneio a «ferro e fogo».

“O evento Alvalade Medieval teve início em 2002 e recria as tradições, os hábitos e os costumes, conjugando cultura, património e turismo”, destaca a autarquia de Santiago do Cacém.



Comentários

comentários