Jornal diariOnline Região Sul

Olhão acolheu comemorações oficiais do Dia Nacional do Bombeiro Profissional

Mais de 260 bombeiros de 32 corporações nacionais estiveram presentes nas comemorações oficiais do Dia Nacional do Bombeiro Profissional, realizadas ontem, terça feira, 11, na cidade de Olhão.

A autarquia apoiou a organização da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP), que celebrou e efeméride pelo 11.º ano consecutivo com a presença do secretário de Estado da Proteção Civil, José Artur Neves.

No jardim Pescador Olhanense, estiveram 262 homens e mulheres, em representação de 32 corpos de bombeiros: Sapadores de Lisboa, Porto, Vila Nova de Gaia, Braga, Faro, Setúbal, Funchal e Coimbra; Municipais de Santarém, Coruche, Cartaxo, Viana do Castelo, Loulé, Olhão, Figueira da Foz, Machico e Santa Cruz; e Voluntários do Barreiro, Viseu, Amadora, Estremoz, Viana do Castelo, Portimão e Albufeira e Câmara de Lobos, a que se juntaram mais sete corporações da Região Autónoma dos Açores.

Os pontos altos da cerimónia aconteceram com a homenagem aos bombeiros falecidos no desempenho da sua missão, a entrega de medalhas aos bombeiros profissionais e a entrega da Medalha de Mérito da ANBP ao presidente da autarquia, António Miguel Pina.

Fernando Curto, presidente da ANBP, começou por salientar que “os bombeiros profissionais possuem uma responsabilidade cada vez maior na vida e haveres da população portuguesa”, sublinhando que “a aposta neste setor não pode obedecer a critérios economicistas e deve, ao contrário, ser entendida como uma mais-valia presente e futura no que diz respeito à proteção de pessoas, bens e da floresta”.

O dirigente elogiou António Miguel Pina pelas medidas tomadas “para melhorar as condições de trabalho e operacionalidade do Corpo de Bombeiros Municipais de Olhão: promoções, recruta, investimento em equipamento de proteção individual e em novos veículos, requalificação do atual quartel e lançamento do projeto para o novo quartel dos soldados da paz olhanenses”.

“Ao invés de motivo de agradecimento, proporcionar as melhores condições possíveis aos nossos bombeiros é um dos nossos deveres mais básicos”, considerou, por seu lado, o autarca, que defendeu a necessidade de “dar continuidade ao trabalho que tem vindo a ser desenvolvido para reconhecer as carreiras dos soldados da paz”, que neste momento se encontram equiparadas à de assistente operacional.

“Estamos disponíveis para investir mais um pouco nestes homens e mulheres, mas estamos convictos de que o governo sabe que este é o caminho e este é o momento” para definir esta situação, assinalou António Miguel Pina.

A opinião foi secundada por José Artur Neves, que aproveitou a cerimónia que se realizou em Olhão para anunciar a aprovação da Lei Orgânica da Proteção Civil, “que deverá acontecer já em outubro”.

O governante adiantou, ainda, que está a ser “trabalhada nos últimos meses a criação de uma carreira única na função pública associada aos bombeiros profissionais”.

Referindo-se à data assinada este ano na cidade cubista, José Artur Neves salientou que “ser bombeiro é uma atividade difícil e que exige cada vez mais conhecimentos para o seu desempenho”, salientando a aposta do governo na prevenção, “para que prevenir para evitar socorrer seja cada vez mais o desígnio de todos nós enquanto população”.

O Dia Nacional do Bombeiro Profissional foi assinalado pela primeira vez a 11 de setembro de 2008, e é promovido pela Associação Nacional de Bombeiros Profissionais.

A escolha desta data prende-se com a intenção de homenagem a todos os bombeiros que perderam a vida na sequência dos atentados às Torres Gémeas, em Nova Iorque, Estados Unidos, em setembro de 2001.



Comentários

comentários