Jornal diariOnline Região Sul. O seu portal de notícias Algarve e Alentejo Portugal

Residência artística na Culatra, formação de jovens e projeto com reclusos na agenda do Teatro das Figuras

Apresentação da programação do Teatro das Figuras para 2019

Uma residência artística de Julie Byrne na ilha da Culatra, uma ação de formação com jovens de bairros sociais e um projeto com reclusos são alguns dos destaques da agenda do Teatro das Figuras, que em 2019 se abre à comunidade farense.

«Cultura e Intervenção Social» vai dar o mote para uma série de atividades ao longo do ano naquele espaço cultural da capital algarvia, cuja programação do primeiro quadrimestre foi apresentada na quarta-feira, com a presença de autarcas farenses e artistas locais.

O objetivo passa por chamar novos públicos, dando-lhes outra visibilidade fora do contexto em que estão inseridos e capacitando-os de diferentes valências sociais e culturais, atenuando, por outro lado, o desconhecimento e o preconceito junto dos espetadores.

Gil Silva

“Pensámos entre todos como poderíamos sair deste espaço físico e ir ao encontro das pessoas, cativando novos públicos. Há franjas da sociedade que ainda não conseguimos atingir, pelo que criámos estratégias de disseminação para chegar a essas pessoas”, disse aos jornalistas Gil Silva, diretor e responsável pela programação do Teatro das Figuras.

O projeto «Ritmos e Poesias» vai levar Élton Mota, conhecido como Perigo Público, até aos jovens de três bairros sociais de Faro (Horta da Areia, Atalaia e avenida Cidade de Hayward), para uma ação de formação de MCing e escrita criativa, cujo resultado final será apresentado ao vivo no palco farense.

Por outro lado, no Estabelecimento Prisional de Faro será realizado um trabalho de dois meses, junto dos reclusos, que visa juntar a formação à criação performativa. Sob o mote «Entre Muros», o material explorado deverá ser resultar numa peça, que será apresentada na instituição.

Com o projeto «Teatro d’Elas», foi lançado o desafio à Associação de Proteção à Rapariga e à Família para desenvolver uma oficina de teatro, de longa duração, junto das jovens utentes. No final, será apresentado um espetáculo resultante das suas experiências.

«Assembleia», de Rui Catalão, e «Margem», de Victor Hugo Pontes, serão duas experiências de teatro comunitário incluídas nesta programação, envolvendo a comunidade local.

Por fim, a cantora e compositora Julie Byrne estará em residência artística na ilha da Culatra, mergulhando nas paisagens e no convívio com a comunidade residente para se inspirar para a criação do seu novo álbum.

A ideia passa por continuar a realizar residências artísticas na Culatra no futuro. “Durante anos, procurámos satisfazer as necessidades mais básicas de quem lá vive. Hoje já podemos dar outra dimensão à ilha, com foco na área cultural”, explicou Paulo Santos, vice-presidente da autarquia e presidente do conselho de administração do Teatro Municipal de Faro.

Para 2019, o Teatro das Figuras também garante dois regressos, ambos depois de um ano de interregno.

A iniciativa «24 Horas Figuras» decorre nos dias 15 e 16 de junho, com a aposta na contemporaneidade e em projetos musicais e performativos “do mais atual que se faz no país”, revelou Gil Silva, apesar de o programa ainda estar em segredo.

Já para ser «Artista Figuras 2019», foi escolhido o projeto musical Moçoilas, que este ano comemora o seu 25.º aniversário e vai protagonizar três espetáculos ao longo dos próximos meses.

Em 30 de abril, será apresentado no Teatro das Figuras o seu novo álbum, enquanto a 5 de setembro o grupo apresenta-se com Maria João no Festival F. O regresso ao palco das Figuras será a 30 de novembro, na companhia dos Galandum Galundaina, juntando os sons da serra algarvia aos de Trás-os-Montes.

Para a programação regular do Teatro das Figuras, também há uma agenda carregada de eventos, da música à dança, passando pelo serviço educativo e pelo teatro.

Diogo Piçarra atua na sua cidade-natal

Diogo Piçarra, que atua nos dias 23 e 24 de fevereiro – o primeiro dia já está esgotado e o segundo vai a caminho –, Aurea (16 de março) e Dino D’Santiago (20 de abril) são alguns dos artistas com data confirmada.

Também em março, nos dias 22 e 23, o bailado «A Sagração da Primavera» promete uma noite especial, com coreografia do Quorum Ballet e acompanhamento ao vivo pela Orquestra Clássica do Sul, permitindo a utilização do fosso de orquestra do espaço.

Em 2018, “a melhor sala do país abaixo de Lisboa”, como a caraterizou o presidente da câmara, Rogério Bacalhau, recebeu um total de 49.545 espetadores em 153 sessões, o que representou novo recorde de afluência.

A programação do Teatro das Figuras entre janeiro e abril deste ano está disponível no sítio https://www.teatrodasfiguras.pt/pt/52064/Programa.aspx.



Exit mobile version