Jornal diariOnline Região Sul. O seu portal de notícias Algarve e Alentejo Portugal

Bibliotecas Escolares de Portimão celebram a Semana da Leitura

As Bibliotecas do 1º Ciclo do Ensino Básico do concelho de Portimão vão ser palco da 13ª edição da Semana da Leitura. Acontece de 11 a 15 de março, com a participação das escritoras Analita Santos e Sofia Furtado.

Esta é uma iniciativa promovida pela Biblioteca Municipal Manuel Teixeira Gomes em colaboração com as bibliotecas escolares. A Semana da Leitura assinala-se a nível nacional no âmbito do Plano Nacional de Leitura com o intuito de relembrar que todas as semanas são semanas de leitura, que a leitura e a literatura são uns dos principais instrumentos para garantir a nossa liberdade, liberdade de conhecer outros mundos e outros cenários. Este ano o mote é “Hoje Leitor, amanhã Leitor”.

Esta edição pretende «promover o estudo e a divulgação da obra de um escritor, selecionado no início de cada ano letivo, envolvendo os alunos, os professores, a biblioteca escolar e a comunidade educativa», explica a organização. O estudo da obra do autor é integrado nas atividades da biblioteca escolar, para esse ano letivo, através de leitura individual ou coletiva, dramatizações, concursos diversos, feiras do livro. O projeto culmina no encontro com o escritor, que passa em cada biblioteca escolar.

Programação da Semana da Leitura em Portimão

Analita Alves dos Santos nasceu na Alemanha a 20 de outubro de 1974. Tem como formação base uma licenciatura em Marketing e uma Pós-Graduação em Gestão concluída em 2002 na Universidade do Algarve. Mora no Algarve, é casada e mãe de duas filhas que a inspiram todos os dias a imaginar histórias com significado. “A Irmandade da Rocha - Daniela e o Ouriço-do-mar” é a sua primeira aventura literária no universo infanto-juvenil.

Sofia Furtado nasceu em Loulé em 1978 e vive em Lagos. Licenciou-se em Educação Especial e Reabilitação e começou a trabalhar de perto com crianças e idosos. O despertar para a literatura infantil foi acontecendo com o crescimento do filho, que a certa altura não pedia para que a mãe contasse histórias, mas que as inventasse. A escritora vai às Bibliotecas escolares apresentar a obra “Mel, uma abelha especial”.



Exit mobile version