Jornal diariOnline Região Sul. O seu portal de notícias Algarve e Alentejo Portugal

Mundial de Equipas de ténis em cadeira de rodas de 2020 vai ser no Algarve

Portugal e Croácia voltam a encontrar-se em Vilamoura

O Algarve vai ser palco, em 2020, da fase final do Campeonato do Mundo de Equipas de Ténis em Cadeira de Rodas, anunciou a Federação Portuguesa de Ténis (FPT).

“Já nos foi confirmado pela Federação Internacional de Ténis (ITF) que, no próximo ano, Portugal organizará pela primeira vez a fase final do BNP PARIBAS Campeonato do Mundo de Equipas de ténis em cadeira de rodas. Será igualmente ao sol do Algarve. Uma festa que coroará os melhores do mundo”, sublinhou Vasco Costa, à margem da fase de qualificação europeia para o Mundial deste ano, que se disputa na próxima semana em Vilamoura.

Pedro Frazão, o presidente da Premier Sports e diretor do torneio, congratulou-se, uma vez mais, por a ITF ter reconhecido a “qualidade organizativa” dos portugueses.

Recorde-se, Vilamoura vai acolher pelo terceiro ano consecutivo a fase de qualificação europeia do Campeonato do Mundo de Equipas de ténis em cadeira de rodas.

“[A ITF] voltou a entregar-nos este grande evento em Vilamoura pelo terceiro ano consecutivo, ao mesmo tempo que nos atribuiu desde já o grande Mundial de 2020”, salientou Frazão.

Em 2019, a fase final do Mundial disputa-se em Ramat Asharon, em Israel, de 13 a 18 de maio. Além do país anfitrião e das outras nações que se apuraram via «ranking» mundial, houve uma vaga para cada uma das fases qualificativas.

A seleção portuguesa de ténis adaptado é uma das equipas presentes na fase de qualificação europeia, que se realiza nos «courts» da Vilamoura Tennis & Padel Academy, entre 2 e 6 de abril.

Se em 2018, a novidade foi a convocação de Francisco Aguiar (488.º classificado no «ranking» mundial), em 2019 o selecionador nacional decidiu manter o mesmo quarteto de jogadores que integra ainda o tetracampeão nacional Jean-Paul Melo (85.º), o atual vice- campeão nacional e ex-heptacampeão Carlos Leitão (214.º) e João Sanona (246.º), o vencedor do torneio do Jamor do circuito nacional desta especialidade.

Nos dois últimos anos a gestão da ansiedade de jogar em casa foi fulcral e Portugal foi 13.º e último classificado em 2018 e 10.º em 2017.

Em 2019, uma excelente classificação para Portugal seria terminar a primeira fase da qualificação europeia no segundo grupo, que decide entre o 5.º e o 8.º lugar da classificação final.

“Fizemos uma boa preparação, com três momentos de trabalho de grupo e (ainda) a participação em três provas do calendário nacional duas do internacional. A prova (internacional) da categoria Future em Vilamoura que antecede a fase de qualificação vai permitir acertar os últimos pormenores antes da competição por equipas”, frisou o selecionador.

Em Vilamoura, à semelhança dos dois últimos anos, estarão 13 nações representadas no torneio masculino (entre os quais Portugal), divididas por quatro grupos. No torneio feminino verifica-se um aumento de participação pelo segundo ano consecutivo: Em 2017 eram três, no ano passado cinco e este ano seis. Só os vencedores das finais têm apuramento garantido para o Mundial.

Os países em competição nesta qualificação europeia são os seguintes: Bélgica, Rússia, Bulgária, Dinamarca, Itália e Turquia no torneio feminino; Croácia, República Checa, Estónia, Alemanha, Áustria, Grécia, Hungria, Portugal, Roménia, Eslováquia, Suíça, Itália e Rússia.

O juiz-árbitro do torneio será, pelo terceiro ano seguido, o internacional da ITF Paulo Oliveira.



Exit mobile version