600 alunos de Lagos ajudam a plantar 110 mil árvores para celebrar o Dia da Floresta Autóctone

Ações de florestação vão decorrer até ao final de novembro em 14 municípios do país

O Movimento Terra de Esperança, promovido pela Fundação Galp em parceria com a ANEFA - Associação Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente, vai assinalar durante a próxima semana, o Dia da Floresta Autóctone que se comemora a 23 de novembro, com um conjunto de iniciativas de florestação que incluirá a plantação de cerca de 110 mil árvores em 14 municípios de Norte a Sul de Portugal.

As ações, que se prolongarão até ao final de novembro, vão envolver a colaboração de mais de 4.500 alunos de escolas, associações ou membros de agrupamentos de escuteiros dos municípios de Braga, Cascais, Torres Vedras, Mangualde, Monção, Manteigas, Celorico da Beira, Castelo de Vide, Évora, Mértola, Alcobaça, Lagos, Sardoal e Fornos de Algodres.

Pub

Em Lagos, a iniciativa contará com um dos maiores contingentes de voluntários: serão cerca de 600 alunos do agrupamento de escolas Gil Eanes e do agrupamento de escolas Júlio Dantas.

O Dia da Floresta Autóctone, foi criado com o objetivo de promover a divulgação da importância da conservação das florestas naturais, contribuindo para a preservação e para a expansão das nossas espécies indígenas, fomentando assim a biodiversidade da floresta portuguesa.

Este objetivo cruza-se de forma natural e intrínseca com a missão do Movimento Terra de Esperança. Com a plantação destas 110 mil árvores, o projeto ficará próximo de atingir um volume de 300 mil árvores plantadas desde finais de 2017.

Recorde-se que o Movimento foi lançado pela Fundação Galp em parceria com a ANEFA depois de a Galp anunciar a oferta de 500 mil árvores para plantar em todo o território português, de forma a ajudar na recuperação e reflorestação das áreas ardidas nos fatídicos incêndios do verão de 2017. No total, estas árvores representarão uma área equivalente a cerca de 600 campos de futebol.

Pub

O Movimento Terra de Esperança prevê que a última destas 500 mil árvores seja plantada em abril de 2020, dando assim cumprimento a um plano de reflorestação que envolverá, nos próximos meses, parcerias com 18 municípios e com o ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.

Sobre a Fundação Galp

A Fundação Galp é uma instituição de direito privado, sem fins lucrativos, criada pelo Grupo Galp em 2009 e tem por missão servir a comunidade e o seu desenvolvimento sustentado. Para isso, é orientada por critérios de equidade, racionalidade e eficácia operacional na aplicação dos meios que o Grupo fundador coloca à sua disposição, procurando ser um agente ativo e, em simultâneo, próximo na ligação deste com a comunidade. Empenhada, desde o primeiro dia, no desenvolvimento de atividades de investimento social que promovam a sustentabilidade, através da educação, da proteção do ambiente, do uso sustentável de energia e da cultura, a Fundação Galp acredita que o conhecimento permitirá a convergência, o compromisso e a cooperação essenciais para que a sociedade, nas suas várias comunidades, alcance a sustentabilidade.



Pub
Mais em Ambiente
Sistema de recolha de biorresíduos no concelho de Lagos

A Câmara Municipal de Lagos aprovou, na sua última reunião, o Estudo para o Desenvolvimento…

Escola Padre Cabanita instala sistema de tratamento de águas para rega

No âmbito de uma candidatura à primeira edição do concurso “Eficiência Hídrica na Escola”, foi…

“Caminhada no Algarvensis” celebra Semana Europeia de Geoparques

Albufeira, no âmbito da Semana Europeia de Geoparques, que decorre de 21 de maio a…

Culatra
Protótipo de dessalinização não intrusiva para a Ilha da Culatra vence concurso

O projeto «Culatra2030 – Non intrusive water desalination», coordenado por investigadores do Centro de Investigação Marinha e Ambiental