Jornal diariOnline Região Sul. O seu portal de notícias Algarve e Alentejo Portugal

COVID-19: Donald Trump suspende ligações aéreas com a União Europeia

Donald Trump, dirige-se à Nação do Salão Oval da Casa Branca para falar sobre a epidemia de coronavírus. - POOL/AFP

O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, suspendeu os voos comerciais para o Espaço Schengen - área de livre circulação de pessoas dentro da União Europeia - por causa de epidemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), que já contaminou quase 130.000 mil pessoas e matou mais de 4.600 em todo o mundo.

A medida foi anunciada na noite passada (quarta-feira, 11), devido à explosão de contágios registada nos Estados Unidos, que contabiliza cerca de 1.300 casos, passando assim a ser o oitavo país mais atingido em termos absolutos, atrás da China (80.900 casos), Itália (12.400), Irão (9.000), Coreia do Sul (7.800), França (2.200), Espanha (2.200) e Alemanha (2.000).
A medida anunciada por Trump entrará em vigor à meia-noite de sexta feira (13) e ficará em vigor pelo menos durante 30 dias. “Já havíamos feito uma medida salva-vidas com a China, agora devemos tomar a mesma ação com a Europa”, disse Trump.

Refira-se que o Espaço Schengen inclui 22 países da União Europeia (as exceções são Bulgária, Chipre, Croácia, Irlanda e Roménia), além de Islândia, Liechtenstein, Suíça e Noruega. O Reino Unido não faz parte do grupo.

A restrição Trump é válida para todos os cidadãos estrangeiros que tenham estado em alguns desses países nos 14 dias anteriores à sua chegada aos EUA, com exceção de residentes permanentes ou familiares próximos de americanos.

No Twitter, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, afirmou no seu perfil que é preciso “evitar perturbações económicas”, adiantando que “a Europa está tomando todas as medidas necessárias para conter a disseminação da Covid-19 [doença provocada pelo novo coronavírus]”, garantiu.

Posições assumidas por Trump

Trump, por sua vez, vem adotando uma postura errática em relação à epidemia: já culpou a China, chamou o coronavírus de “nova farsa” da oposição para derrubá-lo, disse que a imprensa estava “inflamando” a situação e agora afirma que a União Europeia foi “lenta” no combate ao Sars-CoV-2.

O avanço da epidemia nos EUA, que também soma 38 mortes, provocou o cancelamento de comícios para as eleições de 2020 e aumentou a instabilidade no mercado financeiro. Além disso, a NBA suspendeu a temporada após um jogador do Utah Jazz, concretamente Rudy Gobert, ter acusado positivo no teste para o novo coronavírus. (ANSA)



Exit mobile version