Foto: Lusa

Covid-19: Primeiro-ministro italiano vai pedir à Alemanha mais solidariedade europeia

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, fez hoje um apelo solene à Alemanha para que haja mais solidariedade europeia no combate à pandemia da covid-19, que está a afetar severamente o seu país, lê-se na notícia veiculada apela agência Lusa.
“Se somos uma União, está na hora de o provarmos”, escreveu Conte num artigo que será publicado quinta-feira no jornal semanário alemão Die Zeit.
“Precisamos de uma estratégia de recuperação económica (...). Todos os Estados europeus devem dar agora o seu contributo, sem exceção", diz o líder italiano, cujo país é membro fundador da União Europeia e um dos seus pilares.
Essa “solidariedade (entre países europeus) deve ser expressa num plano comum que garanta, pela transparência e rigor de todos os participantes, que não ficamos apenas por uma união de transferências”, acrescenta Giuseppe Conte, no pedido que é feito diretamente ao Governo alemão, revela a notícia da agência Lusa.

Itália e Espanha, os países até agora mais afetados pela pandemia e com finanças públicas frágeis, querem um apoio financeiro maciço da União Europeia, para superar as consequências sanitárias, económicas e sociais da crise.

Pub
Mutualização "coronabonds"

Apoiada por vários outros países europeus, incluindo Portugal e a França, a Itália sugere uma mutualização das dívidas dos países da zona do euro, que pode assumir a forma de “coronabonds”, fórmula que os países do norte, liderados pela Alemanha e pela Holanda, têm recusado.
“Devemos examinar os instrumentos apropriados para uma situação sem precedentes. Isso sem preconceitos ou vetos ‘a priori’”, defende o líder italiano no artigo que será publicado no Die Zeit.
“O objetivo é que todos juntos possamos sair desta crise o mais rápido possível, mais fortes e mais unidos”, sublinha.

Giuseppe Conte compara a pandemia de covid-19 a “um ‘tsunami’ que, como uma guerra, deixa a economia em ruínas e as pessoas traumatizadas”.
“É uma situação terrível que eu nunca pensei viver, como cidadão ou como primeiro-ministro”, conclui Conte.

Itália conta 13.000 mortes

A Itália é um dos países mais afetados pelo novo coronavírus, com mais de 110.000 casos confirmados e mais de 13.000 mortes (o maior número de fatalidades num só país) - informa a notícia da Lusa.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 866 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 43 mil.
Dos casos de infeção, pelo menos 172.500 são considerados curados.

Pub

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.



Pub
Mais em Internacional
Manto de neve cobre parte do sul do Brasil

Um manto de neve cobriu partes do estado de Santa Catarina no sul do Brasil que desde há alguns dias enfrenta uma invulgar vaga de frio

Portugal apoia Polónia com € 50 milhões em produtos e materiais

António Costa anunciou doação no valor de 50 milhões de euros, desde casas pré fabricadas até produtos farmacêuticos.

Primeiro caso brasileiro infetado com varíola de macaco na Alemanha

Infectado tem 26 anos e passou antes por Portugal e Espanha Na Alemanha, autoridades sanitárias…

Elon Musk reúne-se com o governo do Brasil pela ‘Amazónia’

Reunião centrada em “Conectividade e Proteção da Amazónia”. O multimilionário Elon Musk, dono da SpaceX e que recentemente…