Marcelo Rebelo de Sousa - Presidente da República

Covid-19: Marcelo considera “indispensável” renovação do estado de emergência por mais 15 dias

O Presidente da República considerou hoje “indispensável” a manutenção do estado de emergência por mais duas semanas, com o aditamento de mais matérias, de forma a evitar a propagação da pandemia de Covid-19.

Em comunicado, Marcelo Rebelo de Sousa disse que, à semelhança do que ocorreu no dia 18 de março, é “indispensável a renovação da declaração do estado de emergência”, com o aditamento de matérias respeitantes à proteção do emprego, ao controlo de preços, ao apoio a idosos em lares ou domiciliário, ao ensino e à adoção de medidas urgentes para proteção dos cidadãos privados de liberdade, especialmente vulneráveis à doença Covid-19”.

Pub

O governo liderado por António Costa já se reuniu, em conselho de ministros extraordinário, aprovando o pedido de novo decreto-lei do chefe de Estado, que será discutido amanhã, quinta-feira, no parlamento, antes de serem anunciadas as medidas concretas resultantes do documento.

Marcelo Rebelo de Sousa entende que, nas duas últimas semanas, os portugueses tiveram um “exemplar comportamento”, mas é preciso reforçar as medidas.

“Sem prejuízo dos efeitos positivos que elas já permitiram alcançar no combate à disseminação da doença, torna-se indispensável a sua manutenção”, sublinhou, no projeto de decreto-lei.

O Presidente da República sustenta que “os efeitos ainda iniciais das medidas adotadas confirmam o acerto da estratégia seguida e aconselham a sua manutenção” e, mais, que se “deve acentuar o nível de prevenção, sob pena de o esforço feito até aqui ser desperdiçado”.

Pub

“Tal é tanto mais evidente quanto se aproxima o tempo da Páscoa, época tradicional de encontro de famílias e de circulação internacional. É essencial para o sucesso da estratégia traçada e conduzida até aqui que este tempo não conduza ao aumento de contactos entre pessoas e, consequentemente, de infeções”, acrescentou.

Entre as matérias que constam do novo decreto, o Presidente da República prevê, entre outras situações, “limitações aos despedimento” nos setores privados; a possibilidade de racionamento de bens materiais; a imposição do ensino à distância com recurso à Internet ou televisão; a alteração do local de trabalho de quem trata de pessoas vulneráveis; e “medidas excecionais e urgentes” de proteção dos reclusos.

Caso seja aprovada na Assembleia da República, a renovação do estado de emergência tem a duração de 15 dias, iniciando-se às 0:00 horas de sexta-feira, 3, e cessando às 23:59 horas do dia 17 de abril.

A pandemia de Covid-19 já infetou cerca de 912 mil pessoas em mais de 200 países e regiões, provocando mais de 45.500 mortos.

Em Portugal, que se encontra em estado de emergência desde 19 de março, registavam-se, até às 23:59 horas de terça-feira, 31, 8.251 casos de infeção (143 no Algarve e 54 no Alentejo) e 187 óbitos (três na região algarvia).

Pub



Pub
Mais em Sociedade
Beja
Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja arranca na sexta-feira

A banda desenhada volta a tomar conta da cidade de Beja, entre 27 de maio e 12 de junho, com um festival internacional que promete

Transição
São Brás: Sessão online aborda transição digital nas escolas

A transição digital nas escolas vai ser tema, amanhã, quinta-feira, 26, de uma sessão online, via Zoom, promovida por entidades de São Brás

Olhão
Olhão: MOJU promove melhorias em bloco habitacional

A MOJU – Associação Movimento Juvenil em Olhão reuniu esforços para promover pequenas melhorias no interior do bloco habitacional onde,

Portugal vai estudar implementação da semana laboral de quatro dias

Impacto da semana laboral de quatro dias, graças à aprovação de uma proposta parlamentar da esquerda durante o debate do OE 2022…