Foto: INEM

Convulsão Febril – como avaliar e proceder

As convulsões febris ocorrem nas crianças e são causadas por febre elevada ou por um aumento súbito da temperatura corporal. Estas convulsões ocorrem geralmente no início do episódio febril, coincidindo com a subida térmica. As convulsões febris são mais comuns entre os seis meses e os cinco anos de idade. A primeira convulsão febril gera sempre grande ansiedade na famí­lia, em particular pelo inesperado da situação.

Sinais e sintomas:

Pub

- Temperatura corporal elevada;

- Desmaio ou prostração, seguidos de convulsão;

- História de convulsões febris com doença prévia.

O que fazer:

Pub

- Proteger a criança: não a segure! Tente colocar, por exemplo, almofadas à volta da criança para evitar que se magoe;

- Arrefeça a criança: retire-lhe a roupa e dê-lhe um banho com água tépida. Abra uma janela, se possível, mas não deixe a vítima arrefecer demais;

- Ligue 112: assim que a convulsão terminar, coloque a criança em Posição Lateral de Segurança; - Verifique e anote, de forma regular, o estado de consciência, a respiração e a pulsação.

Atenção:

- Não tente arrefecer a criança passando-lhe uma esponja com água. Ao fazê-lo, a temperatura corporal poderá volta a subir;

Pub

- Se uma criança tiver uma crise convulsiva febril, é provável que venha a ter outra se a febre voltar, mas isso não significa que a vítima esteja a desenvolver algum tipo de doença.



Pub
Artigos Relacionados
Mais em Saúde
Varíola dos macacos: Dinamarca e França avançam vacinação

As autoridades de saúde francesas recomendaram esta terça-feira o início da vacinação dos contactos de…

Argentina perante o primeiro caso suspeito de varíola dos macacos

Nenhum caso positivo confirmado da doença foi registado na América Latina até ao momento O…

Portugal é o primeiro país a sequenciar genoma do Monkeypox

Vírus está na origem de um recente surto que afeta vários países onde a infeção…

Monkeypox
Novos casos confirmados do vírus Monkeypox chegam ao Algarve

O número de casos confirmados do vírus Monkeypox subiu hoje para 37, distribuídos pelas regiões de Lisboa e Vale do Tejo, Norte e Algarve,