Cristiano Ronaldo e Lionel Messi (Foto: Reprodução/Goal.com)

Cristiano Ronaldo e Messi: dois rivais com muito em comum

É frequente que os amantes do futebol, uma hora ou outra, se perguntem: "Ronaldo ou Messi, quem é o maior de todos os tempos?". Enquanto as duas estrelas de sua geração se preparam para se enfrentarem pela primeira vez desde maio de 2018, a resposta é tão simples quanto impossível: ambos são os melhores.

Messi, o melhor jogador de todos os tempos e Ronaldo, o melhor atacante de todos os tempos, é o que diriam.  No processo de tentar chegar a uma conclusão irrelevante e fundamentalmente falha, todos parecem cometer o mesmo erro básico. As pessoas procuram comparar dois gênios que mudaram a forma como o futebol é apreciado em todo o mundo, destacando suas diferenças.

Pub

A visão superficial dos craques ignora a realidade que eles têm tanto em comum quanto em diferença. Portanto, com os clubes Barcelona e Juventus se enfrentando na Liga dos Campeões na próxima terça-feira, é válido explorar o que une esses dois grandes nomes do futebol.

Os dois...

... foram destinados ao sucesso desde o início

Ronaldo estreou na equipa principal pelo Sporting em 7 de Outubro de 2002, aos 17 anos, oito meses e dois dias. Messi apareceu pela primeira vez na equipa sénior do Barcelona aos 16 anos, quatro meses e 23 dias, aos 75 minutos, durante um amistoso contra o Porto de José Mourinho a 16 de Novembro de 2003.

Messi jovem (Foto: Reprodução/beIN SPORTS)

A partir do momento em que fizeram as primeiras aparições, os dois foram considerados certezas para se tornarem grandes protagonistas do cenário mundial. Depois de ver Messi treinar pela primeira vez, Ronaldinho – um dos jogadores mais admirados do mundo na época – disse: "Ele será em breve o melhor jogador do mundo". E assim aconteceu, sendo o jogador alvo de grandes eventos de aposta ao vivo e de investidores mundiais.

Pub

... têm uma aversão impetuosa pela derrota

Ambos os craques expressam a dor da derrota de maneiras diferentes, maneiras que refletem seus DNAs. Ronaldo, impetuoso, barulhento, belicoso e confrontador. Messi, reservado, introvertido e muitas vezes pouco comunicativo, às vezes por dias após.

Embora a expressão de suas angústias possa estar em pólos opostos, a intensidade dos sentimentos que estão sentindo naquele exato momento é idêntica. Ganhar, perder ou empatar, em seus primeiros dias Messi choraria inconsolavelmente se não marcasse em um jogo.

Ronaldo chora em estreia pelo Juventus (Imagem: CNN Sports)

Já as lágrimas de Ronaldo após uma disputa de penáltis pelo Manchester United contra o Chelsea não foram, como muitos suspeitavam, lágrimas de alegria por vencer a Liga dos Campeões mas talvez fosse uma manifestação da humilhação que sentiu por ser o único jogador do United a ter falhado o seu penálti no desempate.

... precisaram um do outro para construir os seus sucessos

Será que Messi e Ronaldo teriam tido o mesmo sucesso se não tivessem um ao outro para competir? Provavelmente não. Niki Lauda, ao falar sobre sua rivalidade com James Hunt, disse certa vez que "ter um inimigo é uma bênção".

Em 27 de janeiro de 2013, Ronaldo marcou um hat-trick contra o Getafe, mas Messi marcou quatro contra o Osasuna algumas horas depois. Coincidência? Provavelmente não...

Pub



Pub
Artigos Relacionados
Mais em Desporto
Carlos Martins e Luís Nascimento venceram em Serpa

A dupla Carlos Martins / Daniel Amaral (Mitsubishi Lancer Evolution VII) venceu o Rally Flôr Do Alentejo – Cidade De Serpa, quarta jornada do

Portimonense
Paulo Sérgio renova contrato com Portimonense até 2024

O Portimonense, 13.º classificado da última edição da I Liga de futebol, anunciou hoje a renovação do contrato com o treinador Paulo Sérgio

Fim de semana de ouro para o desporto em Albufeira

No dia 14 de maio, pela primeira vez, o Imortal Basket Club sagrou-se campeão da…

Karting: José Pedro Pinto sobe ao pódio em Portimão

José Pedro Pinto, continua a mostrar o seu talento na primeira temporada completa no Campeonato de Portugal de Karting Toyota, em cuja