Jornal diariOnline Região Sul. O seu portal de notícias Algarve e Alentejo Portugal

Alemanha diz ter superado objetivo para 2020 na redução de emissões de gases

Arquivo: Em 3 de abril de 2014, máquinas gigantes cavam em busca de carvão na mineração a céu aberto Garzweiler em frente a uma central fumegante perto da cidade de Grevenbroich | AP Photo / Martin Meissner

O ministro da Economia da Alemanha afirma que o país superou a sua meta de redução das emissões de gases de efeito estufa em 40% no ano passado, comparativamente aos níveis de 1990.

Peter Altmaier disse que os números mostram que as emissões de gases que aquecem o planeta na Alemanha foram 42% menores em 2020, do que há três décadas, confundindo assim os alertas de que o país não conseguiria cumprir o seu objetivo.

Embora a pandemia de coronavírus tenha ajudado a reduzir as emissões, segundo a AP Europa, Altmaier disse que a meta poderia ter sido alcançada de qualquer maneira, mesmo sem a queda na atividade económica por causa do bloqueio.

Altmaier ratificou também que os números provam que estão errados os que duvidam que o país cumpra a sua meta.

“Agora, conseguimos, não apenas por causa da corona, mas porque o comércio de emissões funcionou”, disse ele.

Às empresas dos setores de energia e industrial é atribuído um determinado número de emissões na Europa. Estes podem ser usados ​​ou vendidos, fornecendo um incentivo financeiro para reduzir as emissões. A partir deste ano, de acordo com a AP Europa, a Alemanha também introduziu um sistema nacional de comércio de emissões para os setores de aquecimento e transporte.

A chanceler alemã, Angela Merkel, apoiou a meta de reduzir as emissões em toda a União Europeia para 'zero líquido' até 2050, o que significa que a quantidade libertada na atmosfera não pode ser maior do que a quantidade capturada novamente por meios naturais ou artificiais. Os cientistas dizem que alcançar essa meta ajudará a evitar que as temperaturas globais aumentem mais de 2 graus Celsius (3,6 Fahrenheit) até ao final do século, em comparação com os tempos pré-industriais.

Aviação terá de usar querosene sintético

Separadamente, o governo alemão concordou esta quarta-feira em aumentar a parcela de combustíveis renováveis ​​no setor de transporte para 28% na próxima década - o dobro da meta estabelecida pela União Europeia como um todo. As emissões de gases de efeito estufa no setor de transporte da Alemanha quase não diminuíram desde 1990, à medida que mais carros e carros chegam às ruas, superando o efeito de motores mais eficientes.

De salientar também que o plano do governo alemão, que precisa ser aprovado pelo parlamento, inclui incentivos ao uso de carros elétricos, hidrogénio e biocombustíveis de fontes renováveis.

Grupos ambientalistas disseram que o plano exige apenas a eliminação do óleo de palma para biocombustíveis até 2026. O óleo de palma representa atualmente um quinto do biocombustível usado na Alemanha.

As companhias aéreas serão obrigadas a usar pelo menos 2% de querosene sintético até 2030.



Exit mobile version