Foto: in portal R7

Comitiva irá a Israel no fim de semana buscar o spray contra Covid

De acordo com Bolsonaro, o medicamento será testado em fase 3 no Brasil e Anvisa deve autorizá-lo.

O presidente da República do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, afirmou a apoiantes seus, em frente ao Palácio Alvorada, que uma comitiva irá a Israel, neste fim de semana, para trazer o spray nasal desenvolvido naquele país contra a Covid-19 - um medicamento que conforme o presidente declarou, tem eficácia de 100% em casos graves.

Esta notícia, avançada pelo portal R7, diz que o presidente, defensor do tratamento precoce de Covid-19 com o uso da cloroquina e que também tem dito que não basta apostar só em vacinas, destaca que será dada entrada na ANVISA do pedido para uso emergencial do spray nasal.  A médica de Porto Seguro, Dr.ª Raíssa Soares, também prescreveu o tratamento a doentes infetados com a doença usando a cloroquina como medicamento essencial numa fase inicial de evolução da doença.

Pub

"Nós devemos ter uma comitiva para ir a Israel no sábado ou domingo. A gente vai aqui trazer o spray. Lá deu certo com 30 pessoas em estado grave, e nós vamos aplicar a terceira fase aqui no Brasil desde que a ANVISA autorize.
Deve autorizar, afinal de contas é utilizado até em quem está intubado, então, pode ser que dê certo. Deu certo com 30 pessoas, com todas as 30", reafirmou Bolsonaro.

Na passada semana, segundo o portal R7, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, disse ter orientado a Embaixada brasileira em Israel a acelerar o início da cooperação com o Centro Ichilov, que fabrica o spray nasal fabricado em Tel Aviv, para que o remédio possa ser utilizado no Brasil no combate à pandemia.

Na mesma conversa com os seus apoiantes, ocorrida na noite desta terça-feira (23), Bolsonaro voltou a reafirmar a sua crença no atendimento precoce da doença.

"O médico sempre usou disso. Isso é ensinado em universidades: quando não tem um remédio específico para aquele mal, ele pode, em comum acordo com o paciente ou com a família, aplicar um outro remédio. E o que se aplica no Brasil, ainda, não tem efeito colateral nenhum: zero. Agora, foi politizado o negócio. Se não me engano, são mais de 500 estudos com esse medicamento e a maioria aponta preventivamente para a recuperação, porque diminuiu a carga viral", disse Bolsonaro.

Não há comprovação científica de benefícios da hidroxicloroquina em pacientes com o novo coronavírus, escreve o portal R7. Pesquisas também indicam que, entre os efeitos colaterais do uso do medicamento com a doença, está a arritmia.



Pub
Artigos Relacionados
Mais em Internacional
Brasil: fim do estado de emergência em saúde pública Covid-19

Chegou ao fim, neste domingo (22), o estado de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN),…

Brasileiro encontrado morto com abraçadeiras no pescoço

O corpo do brasileiro, natural de Minas Gerais, foi encontrado na região de Cabo da…

Manto de neve cobre parte do sul do Brasil

Um manto de neve cobriu partes do estado de Santa Catarina no sul do Brasil que desde há alguns dias enfrenta uma invulgar vaga de frio

Portugal apoia Polónia com € 50 milhões em produtos e materiais

António Costa anunciou doação no valor de 50 milhões de euros, desde casas pré fabricadas até produtos farmacêuticos.