Foto: Câmara Municipal de João Pessoa (in CNN)

Brasil: Bolsonaro substitui ministro da Saúde por um médico

Queiroga esclareceu que “esse termo de lockdown decorre de situações extremas". O país tem outros aspetos da economia para serem olhados”

O médico cardiologista Marcelo Queiroga aceitou o convite para ser o novo ministro da Saúde do Brasil, sucedendo assim ao general Eduardo Pazuello.
Segundo currículo divulgado na plataforma Lattes, Marcelo Antônio Cartaxo Queiroga Lopes formou-se em Medicina em 1988, pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Tornou-se residente em Cardiologia em 1992 no Hospital Adventista Silvestre, no Rio de Janeiro. O currículo Lattes, referência na carreira académica, é preenchido pelo próprio Queiroga, que assume a responsabilidade pela veracidade das informações.

Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), o médico é defensor do presidente Jair Bolsonaro, com quem se encontrou nesta segunda. Queiroga vem da mesma especialidade e da mesma associação que Ludhmilla Hajjar, médica que recusou o convite para assumir o posto ocupado pelo general Eduardo Pazuello por "motivos técnicos" e também após receber ameaças de morte, como revelou à CNN a médica cardiologista.

Pub
Questões operacionais tratadas de forma clara

Na sua primeira entrevista após ter sido anunciado como novo ministro da Saúde do Brasil, o cardiologista Marcelo Queiroga afirmou à CNN, na noite desta segunda-feira (15), que lockdown só deve ser aplicado em “situações extremas” e “não pode ser política de governo”. Em conversa ao telefone, Queiroga esclareceu que o país tem "outros aspetos da economia para serem olhados”.
O cardiologista considerou que as vacinas adquiridas por Eduardo Pazuello devem garantir um programa de vacinação “amplo” e ressaltou que, na conversa que teve mais cedo com Jair Bolsonaro,  o presidente pediu que questões operacionais sejam expostas de forma clara.

Queiroga tem, segundo o próprio, um doutoramento em andamento desde 2010 em Bioética, na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, em Portugal.
Trabalha como diretor do Departamento de Hemodinâmica e Cardiologia do Hospital Alberto Urquiza Wanderley e cardiologista no Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, ambos na Paraíba.

Quanto ao ainda ministro Eduardo Pazuello, que publicou uma declaração no mesmo dia em que o Brasil bateu o recorde de mortes por Covid-19, atingindo 1.910 óbitos em apenas 24 horas, acresce destacar a sua seguinte declaração proferida no passado dia 5 de março: "A todos vocês, quero dizer que estamos trabalhando firmes para mudar esse quadro. Não somos uma máquina de fabricar soluções, mas somos seres humanos focados na resolução de problemas", disse Pazuello.



Pub
Mais em Internacional
MbZ, “homem forte” do Médio Oriente, novo presidente dos EAU

Mohamed bin Zayed (MbZ), um dos homens mais poderosos do Médio Oriente, depois da morte do seu irmão Khalifa, tormou-se no novo emir de Abu Dabi …

Algarve: imóvel de € 10 milhões, de Abramovich, está ‘congelado’

Portugal mantém congelado desde março um imóvel valorizado em 10 milhões de euros que o oligarca russo Roman Abramovich tem no Algarve …

Chefe de inteligência da Ucrânia diz que Putin tem cancro

O chefe da inteligência militar da Ucrânia disse nesta sexta-feira (13) que o presidente russo, Vladimir Putin,…

Ucrânia e Rússia: o que você precisa saber agora

A Agência Reuters publicou uma análise atual aos acontecimentos e sua evolução ou consequências futuras da guerra na Ucrânia