CONSULTÓRIO DECO: “Faturação de energia aumenta 61%, face ao mesmo período de 2020”

No primeiro trimestre de 2021 os pedidos de ajuda recebidos na DECO sobre a faturação de energia aumentaram 61%, face ao mesmo período de 2020. Este ano o Inverno foi muito frio e as necessidades de consumo de energia foram superiores devido às medidas de confinamento. Só em janeiro, o consumo doméstico de eletricidade aumentou 31% face ao mesmo mês de 2020 (dados da DGEG).

Na DECO recebemos denúncias de famílias que receberam faturas de eletricidade de 200€ para um mês de consumo, quando o valor médio que costumavam pagar seria de 80€, o que se deve sobretudo à utilização de soluções de aquecimento que, não sendo os mais eficientes, gastam muita energia.

Pub

Lembramos também que o Governo lançou um apoio extraordinário sobre a fatura de eletricidade, que teve por base uma redução de 10% da tarifa, o que, apesar de ser meritório, é um apoio diminuto face ao aumento de consumo verificado.

A DECO quer apoiar os consumidores a gerir os seus consumos de energia, tendo criado para tal o Gabinete de Aconselhamento de Energia (GAE) que está ao dispor de todos os consumidores.

O GAE tem uma equipa com 35 técnicos preparados para informar e ajudar os portugueses a melhorar a eficiência energética da sua casa, a gerir os seus consumos, a compreender o funcionamento do mercado de energia, bem como a recorrer a mecanismos de apoio em situação de pobreza energética.

Para agendar uma consulta com o Gabinete de Aconselhamento de Energia da DECO (uma atividade do projeto – STEP (Soluções para Combater a Pobreza Energética) financiado pelo programa H2020 da UE) contacte através do nº de telefone: 289 863 103 ou energia@deco.pt.

Pub

No âmbito do projeto STEP, disponibilizamos a partir de hoje nas redes sociais 4 vídeos com dicas simples sobre como se pode consumir energia de forma mais eficiente.

Para ler o artigo anterior publicado pela DECO Algarveclique aqui.



Pub
Mais em Consultório do Consumidor
A DECO INFORMA: “ALIMENTAR SEM DESPERDIÇAR – dicas para evitar desperdício em casa”

As perdas relacionadas com o desperdício alimentar representam um forte impacto ambiental, económico e social, pelo que é essencial

E se o bem é expedido, ainda que não pedido, será que o preço é devido ?

E há quem caia na “esparrela” e entenda pagar, satisfazendo a pretensão do fornecedor. E por pruridos outros que não cabe analisar na

A DECO INFORMA: “Pirataria, contrafação e impactos na economia”

Vivemos num mundo global que, apesar de ser cada vez mais tecnológico, continua a registar enormes disparidades sociais, culturais,

WORTEN: mas que “despautério”!

Das Condições Gerais dos Contratos  oferecidas em geral à massa de consumidores pela WORTEN, S.A., consta do § 2.º – cláusula 13 -, sob a