INEM alerta para o surgimento de Febre na Criança

A febre é um sintoma comum nas doenças agudas infantis e representa uma reação de defesa do organismo contra a infeção. O aumento da temperatura corporal é um sinal de alerta, não de alarme, de que muito provavelmente se está a iniciar uma infeção, quase sempre sem consequências.

Considera-se que uma criança está febril se apresenta uma temperatura axilar superior a 37,5º C ou uma temperatura rectal superior a 38º C. Nas crianças abaixo dos 2 anos deve ser avaliada preferencialmente a temperatura rectal.

Pub

O que fazer:

· Administrar o antipirético recomendado pelo médico e na dose indicada;

· Manter a criança com roupa fresca e num ambiente não muito aquecido;

· Dar a ingerir líquidos com frequência;

Pub

· Se apesar destas medidas a febre se mantiver alta dar um banho à criança com água tépida.

Consulte um médico se:

· A criança for um lactente com menos de 3 meses;

· A febre for de 40º C;

· A febre persistir para além de 3 dias;

Pub

· A criança tiver uma convulsão;

· Apresentar manchas na pele;

· Apresentar uma respiração acelerada, difícil ou ruidosa, ou uma respiração pouco usual mesmo quando a febre baixa;

· Apresentar tosse e expetoração esverdeada ou acastanhada;

· Se tiver vómitos repetidos.

Ligue 112 se a criança:

· Tiver tosse rouca e respiração ruidosa ou respiração asmática;

· Estiver invulgarmente quente, fria ou prostrada;

· A criança chorar de uma maneira ou por um período pouco usuais, com irritabilidade persistente, ou emitir gemido.

Para ler o artigo anterior publicado pelo INEM, clique aqui.



Pub
Mais em Saúde
Covid-19: idosos recebem a partir de hoje a 2a dose de reforço

Previsto para o início do outono, a aplicação da 2a dose de reforço foi antecipada devido ao aumento de infeções no país.

Vila Nova de Milfontes recebe ação de promoção de hábitos saudáveis

“Tudo em Prol do Coração!” é o lema da iniciativa agendada para o dia 27…

Médicos
Governo abre 17 vagas com incentivos para captar médicos para o Algarve

O Governo determinou as zonas geográficas do país onde se sente carência de médicos para efeitos de atribuição de incentivos à sua fixação,

Algarve vai ter unidade especializada para pessoas trans

Lisboa e Algarve vão passar a ter duas unidades especializadas para atendimento e acompanhamento de pessoas trans, cuja aberta está prevista