Jornal diariOnline Região Sul. O seu portal de notícias Algarve e Alentejo Portugal

Alunos de VRSA combatem beatas de cigarros

Os alunos do 12.º ano da turma F da Escola Secundária de Vila Real de Santo António culminaram, em junho, um projeto de sensibilização e combate contra o envio de beatas de cigarros para o chão.

O projeto teve início no ano letivo de 2019/2020 e prolongou-se até ao ano letivo de 2020/2021.

Os alunos, orientados pelo seu diretor de turma e professor, Rui Marques, iniciaram uma campanha de sensibilização para a poluição provocada pelas beatas dos cigarros, no âmbito da flexibilização entre as disciplinas de educação física, psicologia B e sociologia.

Ao longo deste período, os estudantes fizeram recolhas de beatas pelo município, cartazes de sensibilização à população, panfletos informativos, assim como um vídeo e música para alertar para os riscos desta prática.

Beateiras a partir de material reciclável

A turma do 12.º F também criou beateiras a partir de material reciclável, posteriormente colocadas no passadiço da praia de Monte Gordo, em colaboração com o município de Vila Real de Santo António, representado pela vereadora da Educação, Carla Sabino, pela engenheira do ambiente Vanda Palma e pelo presidente da junta de freguesia de Monte Gordo, Ricardo Catarino.

“O grande motivo da criação deste projeto foi o conhecimento dos malefícios que as beatas de cigarro atiradas para o chão, diariamente, provocam no meio ambiente e consequentemente no futuro das nossas gerações e das gerações seguintes”, consideram os alunos.

Assim sendo, era necessário “arranjar uma forma de alterar este hábito, influenciando as pessoas a depositar as beatas de cigarro num local onde, mais tarde, pudessem ser devidamente colocadas no lixo ou eventualmente, recicladas”.

“Este projeto visou alterar um comportamento recorrente da sociedade, numa tentativa de combater um dos principais focos de poluição que se faz sentir por todo o mundo, salvaguardando o ambiente e dando um pequeno mas sustentável contributo para um município e um mundo mais ‘verde’”, concluem.



Exit mobile version