Jornal diariOnline Região Sul. O seu portal de notícias Algarve e Alentejo Portugal

Brasil: mercado financeiro eleva PIB de 4,85 % para 5 %

Foto: in Agência Brasil (BC)

De acordo com o Boletim Focus, a previsão para a inflação subiu de 5,82% para 5,90%

Com base em consultas a instituições financeiras, segundo a agência Brasil, o Banco Central (BC) do Brasil elevou de 4,85% para 5% a projeção de expansão, para 2021, do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país.

As estimativas constam do boletim Focus de hoje (21), divulgado semanalmente pelo BC, com a projeção para os principais indicadores económicos.

Para 2023 e 2024, o mercado financeiro tem uma projeção de expansão do PIB avaliada em 2,50%.

Para 2022, houve um recuo na expetativa, com um crescimento anual menor do que o projetado há uma semana. Assim, a projeção caiu de 2,2% para 2,1%.

 

Inflação

A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano, de acordo com a notícia veiculada pela agência Brasil, subiu de 5,82% para 5,90%. Para o próximo ano de 2022, a estimativa de inflação mantém-se em 3,78%. Tanto para 2023 como para 2024, a previsão para o índice mantém-se em 3,25%.

Já a estimativa para o corrente 2021 supera o limite da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. O centro da meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,75%, com intervalo de tolerância de 1,5 pontos percentuais para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é de 2,25% e o superior de 5,25%.

O centro da meta de inflação para 2022 é de 3,50% e para 2023, será 3,25%, com intervalo de tolerância de 1,5 pontos percentuais para os dois anos.

 

Taxa de juros

Segundo a mesma fonte de informação, o principal instrumento usado pelo BC para alcançar a meta de inflação é a taxa básica de juros (Selic), que é fixada pelo Comité de Política Monetária (Copom). A previsão das instituições financeiras para a Selic em 2021 registou crescimento, passando dos 6,25% previstos há uma semana, para 6,50%, conforme o boletim Focus desta semana. O mesmo índice é esperado para 2022, 2023 e 2024.



Exit mobile version