Jornal diariOnline Região Sul. O seu portal de notícias Algarve e Alentejo Portugal

Flórida/Miami: busca por quase 100 desaparecidos prossegue

24 de junho de 2021, na área de Surfside em Miami. (AP Photo / Lynne Sladky)

22 sul-americanos desapareceram no colapso - nove da Argentina, seis do Paraguai, quatro da Venezuela e três do Uruguai, segundo autoridades dos referidos países.

O prédio de condomínio à beira-mar que desmoronou parcialmente nesta quinta-feira (24) fora de Miami, matando pelo menos uma pessoa e prendendo outras na torre que parecia uma casa de boneca gigante quebrada, com um lado destruído. A notícia da Associeted Press, diz que dezenas de sobreviventes foram retirados e as equipas de resgate têm mantido uma busca desesperada por mais vidas.

Uma ala do prédio de 12 andares na comunidade de Surfside desabou com estrondo por volta da 01:30 horas. No final da tarde, quase 100 pessoas ainda estavam desaparecidas, relataram as autoridades, aumentando o receio de que o número de mortos pudesse aumentar drasticamente. As autoridades não sabiam quantos estavam na torre quando se deu o desmoronamento.

“O prédio está literalmente destruído”, disse o presidente da câmara de Surfside, Charles Burkett. “Isto é doloroso porque não significa, para mim, que teremos tanto sucesso quanto gostaríamos em encontrar pessoas vivas”.

Horas após o colapso, segundo a AP News, os bombeiros tentavam resgatar uma criança presa nos escombros, cujos pais supostamente estarem mortos. Noutro caso, a equipa de resgate salvou mãe e filho, mas a perna da mulher teve que ser amputada para poder ser removida dos escombros, disse Frank Rollason, diretor de serviços de emergência de Miami-Dade, ao Miami Herald.

Um vídeo mostrou equipas de bombeiros removendo um menino dos destroços, mas não ficou claro se se tratava da mesma criança mencionada por Rollason. As equipas tentavam entrar no prédio por um estacionamento debaixo da estrutura.

O governador Ron DeSantis, que fez uma ronda pelo local, disse que a televisão não captou a escala real do que aconteceu.

As equipas de resgate, de acordo com a mesma notícia da AP News, estão a “fazer tudo o que podem para encontrar vidas e proceder ao seu salvamento. Isto é o que está a acontecer e informaram que não vão descansar”, disse DeSantis.

Equipas compostas por 10 a 12 elementos, uma de cada vez, entraram nos escombros com cães farejadores e outros equipamentos, trabalhando até à exaustão, abrindo caminho para uma nova equipa entrar e prosseguir, disse o diretor financeiro da Flórida Jimmy Patronis.

“Eles não vão parar só por que vai anoitecer”, disse Patronis à estação de televisão WPLG de Miami. “Eles simplesmente podem seguir um caminho diferente”.

As autoridades não disseram o que pode ter causado o colapso. No vídeo capturado nas proximidades, o centro do edifício pareceu cair primeiro, com uma secção mais próxima do oceano balançando e descendo segundos depois, enquanto uma enorme nuvem de poeira envolvia toda a vizinhança.

Um trabalho estava a ser feito no telhado do prédio, mas Burkett disse não ver como essa obra poderia ter sido a causa do desmoronamento.

 

Governo federal de Joe Biden já ofereceu ajuda

Os hotéis foram abertos para alguns moradores desabrigados, disse o autarca local, e as entregas de alimentos, remédios e muito mais estavam a ser organizadas rapidamente.

Cerca de metade das cerca de 130 unidades do prédio foram afetadas, disse o presidente da câmara em conferência de imprensa. As equipas de resgate retiraram pelo menos 35 pessoas dos escombros até ao meio da manhã, e equipamentos pesados ​​estavam a ser instalados para ajudar a estabilizar a estrutura e fornecer mais e melhor acesso, disse Raide Jadallah do Miami-Dade Fire and Rescue.

O presidente Joe Biden prometeu fornecer ajuda federal caso seja solicitada.

A torre tem uma mistura de residentes sazonais e residentes durante o ano todo e, embora o edifício mantenha um registo de hóspedes, ele não regista quando os proprietários estão na residência, esclareceu Burkett.

Fortuna Smukler publicou informação no Facebook acerca do desastre, esperando que alguém soubesse o paradeiro de Myriam Caspi Notkin e Arnie Notkin, um casal de idosos que morava no terceiro andar.

Arnie Notkin passou anos ensinando educação física numa escola primária local, disse Smukler, um comissário de North Miami Beach que é amigo das filhas de Myriam Notkin.

“Era um professor de educação física muito querido das pessoas no passado”, disse ela. “Todo o mundo postou: 'Meu Deus, ele era meu treinador'”.

“Seria um milagre se eles fossem encontrados vivos”, acrescentou.

A reportagem da AP News, conta-nos também que Nicholas Fernandez passou horas após o colapso a tentar ligar para dois amigos que estavam hospedados no prédio com sua filha. A família veio para os Estados Unidos para evitar o surto de Covid-19 no seu país natal, a Argentina, disse Fernandez, de Miami.

“A esperança é que, talvez, alguém ouça chamar. Eu sei que tem cachorros lá dentro”, disse ele. “Eu sei que pode parecer ridículo o que estou a dizer, mas sempre há esperança até ouvirmos algo diferente.”

No total, 22 sul-americanos desapareceram no colapso - nove da Argentina, seis do Paraguai, quatro da Venezuela e três do Uruguai, segundo autoridades desses países.

O colapso, que pareceu afetar uma perna da torre em forma de L, arrancou paredes e rasgou algumas casas na parte do edifício que ainda estava de pé. Imagens de televisão mostraram camas, mesas e cadeiras que estavam dentro dos escombros. Equipamentos de ar-condicionado estavam pendurados nalgumas partes do prédio, presos pelos fios pendurados.

Aguardam-se os próximos resgates e os números oficiosos, tão reduzidos quanto possível, acerca das vítimas desta catástrofe.



Exit mobile version