Jornal diariOnline Região Sul. O seu portal de notícias Algarve e Alentejo Portugal

Inglaterra retira quarentena a vacinados vindos de países ‘âmbar’, como Portugal

Viajantes no aeroporto de Heathrow em Londres (Reino Unido). EFE/EPA/ANDY RAIN

Os residentes no Reino Unido que entrarem em Inglaterra a partir de 19 de julho procedentes de países inscritos na sua lista âmbar, entre os quais Portugal, não terão que fazer uma quarentena de dez dias se receberam a vacinação completa contra a Covid-19.

A notícia foi avançada pela agência EFE, citando o anúncio feito esta quinta-feira (08) pelo ministro britânico dos Transportes, Grant Shapps, .

O Governo vai manter a exigência da realização de um teste antes da viagem a Inglaterra e de um teste PCR nos primeiros dois dias após a entrada no país, disse o ministro na Câmara dos Comuns, acrescentando que é suprimida a obrigação de fazer um terceiro teste PCR aos oito dias após a chegada.

"Posso confirmar que a partir de 19 de julho os residentes no Reino Unido que estiverem totalmente vacinados através do sistema de imunização britânico não terão que realizar quarentena ao regressarem a Inglaterra", disse o político.

Na sua declaração, segundo a agência EFE, Shapps especificou ainda que os menores de 18 anos que regressarem destes destinos âmbar também não terão de se isolar e fazer teste ao oitavo dia.

As crianças entre os 5 e os 10 anos de idade só terão de fazer o teste para a Covid-19 do segundo dia e os mais novos continuarão a estar isentos destas regras.

O ministro salientou que as alterações anunciadas "dão prioridade aos vacinados no Reino Unido".

"Queremos dar novamente as boas-vindas aos visitantes internacionais a este país e estamos a trabalhar no sentido de alargar a nossa abordagem aos vacinados dos principais mercados e destinos de férias até ao final do verão, tais como os Estados Unidos e a UE", um assunto sobre o qual haverá mais informações "a seu tempo", assinalou.

O político disse estar consciente de como os últimos meses têm sido difíceis tanto para o público como para o setor da aviação.

"Não subestimo nem por um segundo como estes últimos 16 meses têm sido difíceis para aqueles que não puderam viajar para ver familiares, e para o turismo e o sector da aviação, claro, e nenhum ministro gostaria de ter de voltar a restringir a liberdade e a pedir aos cidadãos que não viajem", disse.

Durante a sua declaração, Shapp confirmou também que a partir do dia 19 o Governo irá retirar a atual recomendação contra viagens a países da lista âmbar: "Isto significa que as pessoas poderão viajar por prazer, negócios e ver a sua família em países da lista âmbar".

Em relação a este ponto, o ministro advertiu que "um país da lista âmbar ainda pode ir para o vermelho", risco máximo, o que requer quarentena num hotel indicado pelo Executivo.



Exit mobile version