Site icon Jornal diariOnline Região Sul. O seu portal de notícias Algarve e Alentejo Portugal

Faro quer replicar experiência na rua Caldas Xavier noutros pontos do concelho

Primeira «Living Street» da cidade inaugurada após processo de participação comunitária e projeto de requalificação aprovado pelos moradores

Um terreno baldio ocupado por carros na rua Caldas Xavier, em Faro, foi transformado num espaço verde e de convívio escolhido pelos moradores, num processo de participação comunitária que a autarquia pensa replicar noutros pontos do concelho.

“Este modelo correu muito bem. Não fomos nós que o inventámos, mas adaptámo-lo à nossa realidade para o implementar. Vamos pegar neste projeto de participação comunitária e devolução de espaços às pessoas e replicar noutras zonas da cidade, certamente com o êxito que teve aqui”, disse ao DiariOnline Região Sul Rogério Bacalhau, presidente da Câmara de Faro, à margem da inauguração do espaço, na passada terça-feira.

A rua Caldas Xavier, no bairro do Bom João, passou a ser assim a primeira «Living Street» da cidade, na sequência de uma candidatura do município à iniciativa com o mesmo nome, do qual saiu vencedor em Portugal.

Foram os moradores que escolheram, depois de um processo de participação e debate, o projeto final de espaço verde e equipamentos de lazer, substituindo o antigo baldio que servia exclusivamente para estacionamento desregulado.

Espaço pouco agradável devolvido às pessoas

“Fica aqui um espaço que antes não tinha conforto nenhum, não tinha agradabilidade nenhuma – uma confusão de carros estacionados –, e hoje é um espaço devolvido às pessoas. Acabou-se com alguns lugares de estacionamento, manteve-se outros, mas o que se ganhou no final é muito mais do que alguns lugares de estacionamento, ganhou-se uma vivência e uma participação comunitária”, salientou Rogério Bacalhau.

O autarca farense revelou a sua preocupação com os bairros e com a falta dessa vivência comunitária, que se “perdeu muito” nos últimos anos, e espera que o modelo possa ser repetido noutros locais.

“Há muitas áreas descaracterizadas no concelho. A cidade cresceu muito rapidamente, nas décadas de 80 e 90. Há muitos bairros – aqui no Bom João, na Penha, no Alto de Rodes, no Alto de Santo António – que têm necessidade de pequenas intervenções, de forma a melhorar a qualidade de vida”, frisou.

O processo de intervenção que promoveu a participação comunitária e visou assegurar a sustentabilidade do projeto na rua Caldas Xavier passou pela formação de uma Rede de Ação e Reflexão com cerca de 50 membros, entre moradores e entidades locais.

Equipamentos pensados pelos moradores

“O maior êxito deste projeto tem que ver com o facto de as pessoas participarem nele. Todos os equipamentos que estão aqui foram concebidos desde início pelas pessoas que aqui estão. E essa participação é o primeiro fator para a adesão das pessoas ao espaço, porque foram elas, na prática, que o conceberam”, destacou Rogério Bacalhau.

Depois de analisados os estudos de requalificação apresentados pelos serviços do Município, os moradores envolvidos neste projeto escolheram uma das propostas, entretanto implementada e inaugurada.

As mudanças não geraram consenso entre dois dos moradores ouvidos pelo DiariOnline Região Sul.

Para João Rita, 37 anos, que teve “participação ativa” no processo, alertando para alguns dos aspetos que o preocupavam, nomeadamente quanto ao estacionamento, o resultado final parece “negativo”.

“Vai ser ainda mais complicado estacionar e este sítio vai deixar de ser seguro e tranquilo. Deixámos de ter privacidade”, afirmou.

Já Lucília Assunção, 68 anos e residente no bairro desde bebé, a requalificação foi “a melhor coisa que podiam ter feito” numa rua que antes era uma “desgraça” e agora permitirá “mais convívio entre todos”, à imagem do que acontecia há décadas passadas.

Prémio com montante de 20 mil euros

Recorde-se, o município de Faro garantiu um financiamento de 20 mil euros por parte do programa #EUKI (Iniciativa Europeia para o Clima), do Ministério Federal do Ambiente, Conservação da Natureza e Segurança Nuclear da Alemanha, depois de ter apresentado a proposta portuguesa com a pontuação mais elevada.

A cerimónia de terça-feira contou com a presença das várias entidades envolvidas e moradores da rua Caldas Xavier e encerrou com um momento de fado, a cargo de Alcino Bom, também residente na rua.



Exit mobile version