Atlantis Cup largou de São Jorge rumo à ilha do Faial

Última perna da Regata da Autonomia passa pela ilha do Pico e termina na cidade da Horta

A frota da Atlantis Cup 2021, Regata da Autonomia, largou de Velas (São Jorge) rumo à ilha do Faial. Uma largada com pouco vento, a soprar de norte.

Os veleiros deixaram o porto de Velas por volta das 10h00 de hoje (sábado), passam ao longo da ilha do Pico e terminam a terceira e última perna da 32ª Atlantis Cup na cidade da Horta.

Pub

A última etapa pode decidir classificaçãoes. Para o skipper do XAzul, Luís Quintino, a última perna da Atlantis Cup 2021, é "uma perna difícil".

"Estamos a falar de uma etapa com muito pouco vento. Vamos ficar encostados à ilha do Pico quase o tempo todo e vamos ter sempre correntes contrárias. Vai ser uma etapa muito difícil", conclui.

A edição de 2021 da Atlantis Cup liga as ilhas do Grupo Central do Arquipélago dos Açores: Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial.
Altino Goulart, ao leme do Paganini, um veleiro de 36 pés registado na cidade da Horta, participa na 32ª Atlantis Cup em solitário.

"Sou solitário, portanto, não tenho grandes prespetivas de ganhar regatas, nem etapas, porque estou sozinho. Como vocês sabem, um indivíduo sozinho num barco tem de fazer tudo", explica Altino Goulart.

Pub

"Sozinho demoro muito mais tempo a fazer as manobras. Pensar, decidir e fazer é muito mais fácil com mais pessoas a bordo", confessa o solitário, que participa na Atlantis Cup, acima de tudo, pelo convívio e troca de experiências.

No final da segunda etapa, que ligou Praia da Graciosa a Velas, São Jorge, a classificação ORC era liderada pela embarcação Allegro Vivace, de Duarte Barcelos, seguida pelos veleiros Vertigo e Muito Linda.

Quanto à frota que participa em "Open", a segunda perna (Praia da Graciosa - Velas, São jorge) teve como vencedor o veleiro Ventosga, seguido por Super Açor e Azorean Dream.

Organizada pelo Clube Naval da Horta (CNH), a Atlantis Cup, Regata da Autonomia 2021, conta com o Alto Patrocinio da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.

Última perna da Regata da Autonomia passa pela ilha do Pico e termina na cidade da Horta

Pub

A frota da Atlantis Cup 2021, Regata da Autonomia, largou de Velas (São Jorge) rumo à ilha do Faial. Uma largada com pouco vento, a soprar de norte.

Os veleiros deixaram o porto de Velas por volta das 10h00 de hoje (sábado), passam ao longo da ilha do Pico e terminam a terceira e última perna da 32ª Atlantis Cup na cidade da Horta.

A última etapa pode decidir classificaçãoes. Para o skipper do XAzul, Luís Quintino, a última perna da Atlantis Cup 2021, é "uma perna difícil".

"Estamos a falar de uma etapa com muito pouco vento. Vamos ficar encostados à ilha do Pico quase o tempo todo e vamos ter sempre correntes contrárias. Vai ser uma etapa muito difícil", conclui.

A edição de 2021 da Atlantis Cup liga as ilhas do Grupo Central do Arquipélago dos Açores: Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial.

Altino Goulart, ao leme do Paganini, um veleiro de 36 pés registado na cidade da Horta, participa na 32ª Atlantis Cup em solitário.

"Sou solitário, portanto, não tenho grandes prespetivas de ganhar regatas, nem etapas, porque estou sozinho. Como vocês sabem, um indivíduo sozinho num barco tem de fazer tudo", explica Altino Goulart.

"Sozinho demoro muito mais tempo a fazer as manobras. Pensar, decidir e fazer é muito mais fácil com mais pessoas a bordo", confessa o solitário, que participa na Atlantis Cup, acima de tudo, pelo convívio e troca de experiências.

No final da segunda etapa, que ligou Praia da Graciosa a Velas, São Jorge, a classificação ORC era liderada pela embarcação Allegro Vivace, de Duarte Barcelos, seguida pelos veleiros Vertigo e Muito Linda.

Quanto à frota que participa em "Open", a segunda perna (Praia da Graciosa - Velas, São jorge) teve como vencedor o veleiro Ventosga, seguido por Super Açor e Azorean Dream.

Organizada pelo Clube Naval da Horta (CNH), a Atlantis Cup, Regata da Autonomia 2021, conta com o Alto Patrocinio da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.


Pub
Mais em Desporto
F1: pela nova regulamentação GP do Mónaco está mais imprevisível

Quem o diz é o piloto espanhol Fernando Alonso, que considera Monte Carlo / Mónaco “um dos maiores espetáculos do calendário da F1”

Núcleo duro: Os 13 jogadores mais importantes da Selecção Portuguesa de Futebol

Sabe quais são os 13 jogadores da seleção portuguesa de futebol de que Fernando Santos não abdica e que estarão, com grande probabilidade, a

Baja de Loulé na estrada no próximo sábado e domingo (c/vídeo)

A Baja de Loulé, é a segunda prova mais antiga do calendário do todo-o-terreno nacional e estará na estrada nos próximos sábado e domingo,

GP da Finlândia de MotoGP cancelado devido à ‘situação geopolítica’ – CNN

O Grande Prémio da Finlândia em MotoGP, integrado no Mundial de 2022 de motociclismo de velocidade, foi cancelado devido à «situação