As cinzas vulcânicas da erupção nas Canárias devem chegar depois de amanhã a Portugal, segundo a notícia da RTP. A lava continua a descer em direção ao mar e a deixar um rasto de destruição. Uma portuguesa teve mesmo de abandonar a casa, que estava no trajeto da lava.

A lava do vulcão Cumbre Vieja continua a cobrir La Palma, nas Canárias, e já destruiu mais de 300 casas. Enquanto as cinzas vulcânicas se estão a deslocar para a Península Ibérica, surge a notícia evidenciada pelo portal Zap aeiou.pt de que uma equipa de investigadores alertou, em janeiro, para o risco de uma erupção.

Já são mais de 6 mil pessoas evacuadas e mais de 300 edifícios destruídos e, La Palma continua chocada com o avanço da lava do vulcão Cumbre Vieja, embora a erupção não tenha sido, propriamente, uma surpresa.

PUB

O jornal El País refere que, em Janeiro passado, um grupo de investigadores publicou um “trabalho científico” que alertava para a possibilidade de uma erupção no Cumbre Vieja - um dado que não terá sido valorizado pelas autoridades da ilha.

Enquanto a lava segue o seu caminho rumo ao mar, destruindo tudo, a população começa a preocupar-se com eventuais chuvas ácidas e com os gases tóxicos. Mas, neste momento, não há razões de preocupação, segundo as autoridades espanholas.

O sub-tenente José Antonio Gamarra, da Unidade Militar de Emergências (UME) que foi destacada para a ilha, revela à agência EFE, conforme cita o El Mundo, que “a problemática é com o gás que está a sair agora, que é um gás virgem, ainda não se depurou, não teve contacto com a atmosfera, mas, em princípio, as análises estão a dar negativo”.

PUB

Portanto, “não há risco para a população”, salienta Gamarra.

O Instituto Geológico de Espanha, de acordo com a notícia do portal ZAP aeiou, prevê que as cinzas comecem a chegar à Península Ibérica nas próximas horas.

Na sexta-feira, a nuvem de cinzas e dióxido de enxofre deve chegar ao território de Portugal, mas as concentrações de dióxido de enxofre que carregarem, na altura, não serão um risco para a saúde, segundo alguns especialistas.

O sistema de acompanhamento foi acionado pela UE na segunda-feira, para monitorizar a atividade vulcânica em La Palma. A Comissão Europeia, além disso, entrou em contato com as autoridades espanholas para oferecer apoio adicional.