BE quer apoios para a agricultura sustentável e defender produtores

José Gusmão defendeu esta tarde em Aljezur que a política de apoios à agricultura tem de ser usada para promover os modelos de produção agrícola assentes numa relação responsável com os recursos naturais.

O candidato do Bloco de Esquerda afirmou que "a diversidade das culturas, incluindo entre a culturas de sequeiro e regadio tem de ser recompensada. José Gusmão lembrou ainda que muitas das pequenas explorações têm grande vantagens para biodiversidade e para a soberania alimentar", refere o Bloco de Esquerda em comunicado de imprensa enviado ao diariOnline Região Sul.

O Bloco de Esquerda visitou esta tarde a exploração da empresa alcagoita, que se situa fora do perímetro de rega e pratica uma agricultura com pouco uso de água e com diferentes culturas, entre as quais o feijão carito, a batata doce e o amendoim, que a empresa também transforma em manteiga de amendoim.

Pub

Para o candidato do Bloco de Esquerda, "é incompreensível que os apoios continuem a ser orientados para as grandes monoculturas, incluindo as super-intensivas, que estão a colocar uma pressão insuportável sobre os recursos aquíferos, em vez de apoiar as explorações que mantêm uma relação harmoniosa com os recursos da região".

Em comunicado de imprensa, os bloquistas explicam que "José Gusmão falou ainda do facto de a vocação exportadora continuar a ser critério para a atribuição de subsídios. Para o candidato do Bloco de Esquerda, num momento em que cada vez mais países apostam na soberania alimentar, tendência que se reforçou com a pandemia, o nosso país continua a favorecer a produção massificada para fora e a importação de produtos de baixa qualidade e com elevada pegada ecológica, em vez da valorização da produção nacional através de circuitos curtos de distribuição. José Gusmão disse que as entidades públicas deveriam dar o exemplo, abastecendo-se localmente e apoiando os produtores com infraestruturas para a venda direta e apoios à distribuição.

Ainda sobre a questão da água, o Bloco de Esquerda sublinhou a falta de investimento nos circuitos de rega que leva à situação absurda que se arrasta há meio século no Terminal de Rogil, em que água do perímetro do Mira é deitada diretamente ao mar. Esta situação foi por várias vezes denunciada pelo deputado do BE, João Vasconcelos.

O responsável da Alcagoita sublinhou ainda a necessidade de aumentar o limiar de isenção de Iva, tendo em conta as baixas margens de exploração que estão associadas à pequena agricultura. O produtor afirmou que a falta de apoios e de acesso à água está a atirar pequenos produtores para forma da agricultura, com as consequências económicas, sociais e ambientais que
resultam de uma concentração ainda maior na grande monocultura".

Pub

Pub
Mais em Política
Parlamento
PS apresenta proposta de alteração ao OE2022 para apressar Hospital Central do Algarve

Os deputados do Partido Socialista (PS) eleitos pelo Algarve apresentaram uma proposta de alteração do Orçamento do Estado para 2022 para

Chega
Deputado eleito pelo Algarve ouviu órgãos distritais do Chega

Pedro Pinto, deputado do Chega eleito pelo Algarve, esteve na sede regional do partido, em Faro, na passada sexta-feira, 3, para ouvir os

Bloco de Esquerda organizou Fórum da Água

Decorreu no passado dia 7 de maio no Centro Autárquico de Quarteira o Fórum da…

Água
Jornadas Parlamentares do PS/Algarve abordam tema da água

«Garantir Água. Garantir Futuro» será o tema das Jornadas Parlamentares do PS/Algarve, que decorrem no no próximo sábado, 14, com várias