diariOnline Região Sul

“Gostaria de ver o Algarve mais ecológico e solidário” Marta Setúbal / LIVRE

Marta Setúbal, Cabeça de Lista do LIVRE pelo Círculo de Faro, às Eleições Legislativas agendadas para 30 de janeiro de 2022, em entrevista exclusiva ao jornal diariOnline Região Sul respondeu a questões diretamente relacionadas com o Algarve, dando a conhecer as propostas do partido.

Marta Setúbal é arquiteta e natural de Vila Real de Santo António. A candidata estudou em Lisboa e viveu mais de uma década em Berlim, na Alemanha, tendo depois regressado à terra natal.

Pub

Na cidade pombalina, criou o projeto “Arquivo da Vila” – englobando uma série de passeios, oficinas e jogos em que se treina a observação e a imaginação da cidade a partir do material histórico –, que acabou por dar origem à tese "Arquivo da Vila – um arquivo como dispositivo para a reativação do vínculo ao lugar".

Recentemente foi admitida no curso de doutoramento de Arquitetura dos Territórios Metropolitanos Contemporâneos, no ISCTE, para continuar a investigação já iniciada sobre Vila Real de Santo António e os seus habitantes.

Membro do Livre desde março de 2020, integra o grupo de contacto do partido no Algarve.

diariOnline Região Sul (dRS): Quais as principais prioridades para a região algarvia?

Pub

Marta Setúbal (MS):

- Sustentabilidade ambiental/ecológica

Combater (e preparar a região para) a escassez hídrica, aprofundada pelas alterações climáticas, e pensar o território de uma forma integrada.

 - Sustentabilidade económica

Criar diversidade económica, fomentando a economia local, solidária e colaborativa e apoiando a criação de cooperativas e de empresas com maior participação dos trabalhadores nas decisões, que garantam o desenvolvimento ecológico e sustentável.

Pub

É essencial quebrar a dependência do turismo e o desemprego sazonal, transformando o Algarve numa região economicamente mais sustentável.

- Sustentabilidade social

Garantir Habitação digna capaz de servir como base para uma vida livre. Planear uma rede de transportes abrangente e inclusiva, para permitir acesso a Trabalho, Saúde, Educação e Cultura, dentro da região e em ligação às regiões vizinhas. Pensar as necessidades básicas numa lógica de proximidade.

dRS: Que medidas imediatas devem ser adotadas?

MS: O mais imediato é lançar um processo participado com o objetivo de decidir coletivamente a estratégia geral para o território.

À partida, haverá sempre uma profunda necessidade de medidas para combater o desgaste decorrente da pandemia, com um foco especial em questões de saúde mental. Também a mobilidade e o ambiente são áreas onde é urgente atuar:

Tornar acessível uma rede de mobilidade abrangente, apoiada em transportes coletivos e modos suaves individuais, a preços acessíveis (por exemplo via implementação de um passe único multimodal para a região Algarve), capaz de ser uma alternativa viável ao uso do automóvel privado.

Promover a expansão de sistemas de produção agrícola sustentáveis, privilegiando os mercados municipais como ponto de comercialização.

Criar e fortalecer comunidades de gestão comum de bacias hidrográficas; e apoiar o uso racional e eficiente da água no contexto urbano, turístico (golfe) e agrícola.

dRS: Que modelo de desenvolvimento defende para a região?

MS: O LIVRE defende um modelo de desenvolvimento capaz de assegurar uma verdadeira sustentabilidade ambiental, social e económica, longe de interesses privados e próximo das pessoas e do planeta, onde cada pessoa tem a oportunidade de participar nas decisões da comunidade.

Para isto, é necessário defender e preservar os ecossistemas, valorizar os recursos endógenos e o investimento numa sociedade mais justa, equilibrada e saudável. É preciso libertarmo-nos da noção de “crescimento a todo o custo” e prosperar no sentido de uma vida mais ampla e rica em tempo e comunidade.

Para nos afastarmos da dependência do turismo sazonal na região, propomos apoiar a criação de cooperativas e de empresas autogeridas pelos trabalhadores e da economia social que garantam o desenvolvimento ecológico e sustentável. A aposta na educação e formação da população, de todas as idades, é fundamental para criar um modelo que se fortaleça no tempo.

dRS: Em que medida a candidatura pode fazer a diferença?

MS: O LIVRE apresenta a verdadeira alternativa sustentável para a sociedade que precisamos e é aqui que fazemos a diferença; o LIVRE é uma alternativa urgente, que pensa o território na sua totalidade; que entende a diversidade (biológica, geológica, cultural) como imprescindível para o futuro do planeta; que acredita profundamente na humanidade e na democracia - e que, por isso, entende a política como intrínseca na vida de todas as pessoas. Por isso, o LIVRE faz política de forma diferente, transparente, participada, partilhada - e aplica estes princípios internamente.

Tenho consciência de que a visão do LIVRE tem o seu espaço e que este espaço é grande: quanto mais crises acontecem (climática, pandémica, social...), mais claro fica que a visão política do LIVRE é essencial.

Ser LIVRE é agir de forma pró-ativa perante as adversidades, com foco na solução; com uma atitude otimista e operativa; com novas ideias, sem pó, sem medos, sem ódios - e com uma grande vontade de mostrar que é possível.

Pub

dRS: Como gostaria de ver o Algarve daqui a 4 anos?

MS: Gostaria de ver o Algarve mais ecológico e solidário, baseado numa economia mais circular e na construção de uma comunidade local e global. Uma população criativa, qualificada e participativa, numa região mais igualitária, coesa e resiliente às alterações climáticas capaz de fazer face às emergências ecológica, pandémica, energética e de matérias-primas.

Se em 4 anos dermos passos decisivos rumo a esta visão, estaremos mais capazes para enfrentar os desafios atuais e os futuros.

A lista do LIVRE candidata pelo círculo eleitoral do Algarve, que tem como Cabeça de Lista Marta Setúbal, é composta da seguinte forma:

- Marta Setúbal

- Manuel Mariano

- Carla Sofia do Carmo

- David Marques

- Ana Sofia Marcelino

- João Barata Rodrigues

- Maria João Bernardo

- Luís Conceição

- Rosa Dias

Nota: O jornal diariOnline Região Sul endereçou um conjunto de questões a todas as forças políticas que se apresentam às eleições legislativas, pelo círculo de Faro. Os artigos são publicados durante o período de campanha eleitoral (com exceção das forças políticas que não responderam em tempo útil).

Pub
Mais em Política
CHUA
Chega organiza vigília pela construção do Hospital Central do Algarve

O Chega vai organizar uma vigília pela construção do Hospital Central do Algarve, no próximo dia 27 de maio, em redor das atuais instalações

Parlamento
PS apresenta proposta de alteração ao OE2022 para apressar Hospital Central do Algarve

Os deputados do Partido Socialista (PS) eleitos pelo Algarve apresentaram uma proposta de alteração do Orçamento do Estado para 2022 para

Chega
Deputado eleito pelo Algarve ouviu órgãos distritais do Chega

Pedro Pinto, deputado do Chega eleito pelo Algarve, esteve na sede regional do partido, em Faro, na passada sexta-feira, 3, para ouvir os

Bloco de Esquerda organizou Fórum da Água

Decorreu no passado dia 7 de maio no Centro Autárquico de Quarteira o Fórum da…