Aldeias de Crianças SOS quer alertar para a importância da família

A mais recente campanha das Aldeias de Crianças SOS, lançada com o objetivo de celebrar o Dia da Família, que se comemora no dia 15 de maio, pretende «alertar para a importância do conceito família».

Com o mote “O que é a família? É o melhor lugar para uma criança crescer”, as Aldeias de Crianças SOS querem «sensibilizar para a importância da família como núcleo fundamental para o desenvolvimento da criança».

Pub

De acordo com Luís Cardoso de Meneses, Secretário Geral das Aldeias de Crianças SOS Portugal, «é com a família que a criança começa a ser o autor da sua vida e a escrever a sua própria história. No entanto, em Portugal registaram-se mais de 40 mil pedidos de ajuda para crianças negligenciadas que crescem sem o apoio de uma família. Crescem sozinhas. As Aldeias de Crianças SOS existem e trabalham diariamente, em Portugal e em mais de 138 países do mundo, para mudar esta realidade. Para que cada criança possa pertencer a uma família, crescer com amor, respeito, segurança e ser autora da sua própria história».

Com esta campanha solidária, as Aldeias de Crianças SOS pretendem «demonstrar a importância que uma família pode ter no crescimento de uma criança ou jovem e o melhor exemplo é um caso real. A Maria quando era apenas uma criança teve um pai abusivo e alcoólico, e, sem proteção, foi vítima de violência no seio da sua própria família. Atualmente é mãe e está feliz, mas quando chegou aos cuidados das Aldeias de Crianças SOS, a sua ideia de família era imperfeita pois faltava-lhe bons exemplos dos seus próprios pais».

Quando questionada sobre o verdadeiro significado de “família”, a Maria afirmou que «Família é partilha e afeto. Fui aprendendo com as Aldeias de Crianças SOS a construir esta ideia, porque nunca tive referências. O CAFAP (Centro de apoio Familiar e Aconselhamento Parental) da Guarda é como se fosse a extensão da minha família. Ajudou-me na organização do meu tempo para cuidar da minha filha, a perceber a importância da estabilidade na família e, principalmente, a importância da rotina. Hoje tenho uma boa relação com a minha filha e ela conta-me tudo, desde as suas ambições até aos seus medos na vida. Estou muito orgulhosa por ela estudar e querer ser uma jogadora de futebol», conclui o responsável.

Para contribuir para esta causa e ajudar mais de 420 crianças, jovens e 190 famílias que acompanham as Aldeias de Crianças SOS , é possível apoiar de diferentes formas.

Pub

Em Portugal, foram comunicadas mais de 40 mil situações de maus tratos à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, sendo a negligência e a violência doméstica, os motivos mais frequentemente assinalados.

As Aldeias de Crianças SOS estão em Portugal há mais de 50 anos a acolher e apoiar crianças, tendo sido acompanhadas desde 1967 mais de 1000 crianças e jovens. Reforçam o seu compromisso com as mais de 420 crianças e jovens que acompanham anualmente, tanto nas Aldeias SOS (Programa de Cuidados Alternativos), como nos CAFAPs (Programa de Fortalecimento Familiar), com uma equipa de mais de 140 colaboradores, que, firma a organização, «continuará a trabalhar todos os dias para concretizar a missão junto das crianças, jovens e famílias».

Pub
Mais em Sociedade
Que todos “aproveitem este Dia da Marinha em Faro”

O capitão-de-mar-e-guerra Fernando Rocha Pacheco nasceu em Penafiel mas há muito tempo que a região…

GNR apreende metais não preciosos em Almancil e constituiu um arguido

O Comando Territorial de Faro da Guarda Nacional Republicana (GNR), através do Posto Territorial de Almancil, ontem, dia 19 de maio,

Dois detidos em Lagoa na posse de 170 doses de cocaína e heroína

Dois homens de 22 e 32 anos foram detidos no dia 18 de maio por tráfico de estupefacientes, no concelho de Lagoa, segundo informação do

Marchas e arraiais voltam às noites de junho em Portimão 

No mês em que começa o verão, Portimão prepara-se para viver dias de grande animação…